Gouveia, uma Estrela da República

Julgo nunca ter utilizado esta coluna para proclamar Gouveia. Não é que não mereça, mas parece-me mais justo, quando escrevo fora do quadro da análise política, que reflicta sobre a Serra da Estrela ou a Região Centro. Mas desta vez… tem que ser Gouveia, por razões republicanas.

E porquê?

Na verdade, sem pretender ser exaustivo e muito menos fazer história deste primeiro centenário da implantação da República, não posso deixar de recordar quão importante foi para Gouveia a chama do ideal republicano.

Dos destacados Gouveenses que, à época, souberam estar na primeira linha da defesa dos ideais da república, destaco aqui Pedro Amaral Botto Machado, interveniente na revolta do Porto de 31 de Janeiro de 1891, que lhe valeu ser julgado e condenado ao degredo por 3 anos em Luanda e Benguela, e do seu irmão Fernão Botto Machado que chegou a ser deputado na Constituinte de 1911 pelo círculo de Pinhel.

Mas poderia aqui citar muitos outros nomes, que é justo reconhecer como “Republicanos de Gouveia”, sinónimo, então, de opositores ao regime do Estado Novo. Seria imperdoável esquecer os nomes de Casimiro de Andrade, Mário Pinto, Duarte Ferreira, Manuel Lima, Mário Figueira, António Cunha, António Lameiras e muitos outros Gouveenses, que em saudáveis tertúlias se afirmavam como defensores do republicanismo democrático. Muitos destes encontros (quase clandestinos) tinham lugar no Centro Republicano de Gouveia, instituição fundada por Pedro Amaral Botto Machado. Eram personalidades popularmente reconhecidas como pessoas de bem, e muito justamente, porque viviam de acordo com os princípios que defendiam, exaltando o princípio da solidariedade humana.

Por tudo isso, creio ser justo proclamar que Gouveia foi e será uma Estrela da República.

Estas foram razões de sobra para a decisão que tomámos na colocação de um painel que irá perpetuar a passagem do 1º Centenário da implantação da República. Trata-se de um painel magnífico de azulejos, da autoria dos Arquitectos João Abel Manta e da sua filha Isabel Manta, de onde sobressai a figura da República, num primeiro plano, e perfeitamente identificáveis, num segundo plano, as torres da Igreja Matriz.

O Painel assenta sobre um bloco de granito serrano, onde podemos ver a Estrela (que compõe o logo do Município) e a frase “Gouveia da República – 1º Centenário”. Para quem estiver mais atento, a leitura poderá ser: “ Gouveia, Estrela da República – 1º Centenário”.

Simples, mas orgulhosa homenagem.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.