Arroz colhido à moda antiga

Posted by

Foto de Vânia Furet

Um grupo de mulheres da terra trajou-se a rigor, puxou pela força dos seus braços e cortou o arroz, que foi depois levado até à eira numa carroça puxada por uma vaca e debulhado. Tal como na sua juventude, quando as gentes da Gândara viviam deste cereal, cultivado nos campos de Fôja. Perto de três dezenas de crianças da escola básica Quinta dos Vigários assistiam entusiasmadas.

A iniciativa, realizada ontem (7), é da Associação Mó-Gândara, de Ribas, Moinhos da Gândara, que, já no ano passado, tinha levado a cabo uma ação semelhante, desta feita com milho. O presidente da coletividade, José Cabete, considera importante a aposta nestas dinamizações, que permitem aos mais jovens conhecer tradições. “Hoje o arroz aparece nas prateleiras dos supermercados”, diz. “É importante que saibam de onde vem”. Assim como os moinhos de água. Em Ribas, o exemplar foi recuperado e recebe visitas diariamente, proporcionadas pela mesma associação.

Para o ano, José Cabete gostaria de ir mais longe e envolver toda a comunidade numa Festa das Colheitas. Entretanto, na mesma freguesia, a Associação Cultural Recreativa e Desportiva da Gândara leva a cabo, amanhã, na sua sede, o XV Festival da Canção Jovem. O evento pretende divulgar jovens talentos a nível nacional, que interpretarão temas inéditos e originais. Os finalistas já estão apurados e provêm de vários pontos do país. O artista Ricardo Soler marca também presença na noite de amanhã. A partir das 21H30.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.