Rol de estímulos para todos em Pampilhosa da Serra

Posted by

Foto Luís Carregã

O presidente da Câmara Municipal da Pampilhosa da Serra, Brito Dias, regista com agrado a adesão recorde de artesãos e espera atrair muitos visitantes.

“Atrair pesssoas à Pampilhosa da Serra” é um dos objectivos da Feira de Artesanato e Gastronomia que hoje começa e que Brito Dias, presidente da Câmara Municipal, considera essencial nesta altura do ano. “Aproveitamos o aumento substancial do número de habitantes e, ao mesmo tempo, tentamos atrair à sede do concelho pessoas de concelhos vizinhos e de outros pontos da região”, explica.

O artesanato está presente em força e, segundo o autarca, a edição deste ano “regista a maior afluência de sempre” no número de artesãos; ou seja, estão garantidos 55 espaços de exposição.

Na gastronomia, as cinco tasquinhas ao serviço incluem na ementa “obrigatoriamente” especialidades regionais, pelo que o certame servirá, também, para promover o que a Pampilhosa da Serra tem de melhor neste capítulo. “Fazemos questão que as tasquinhas sejam entregues a pampilhosenses, pois eles melhor do que ninguém conhecem o que vai à mesa aqui no concelho e que é muito bom”, assegura.

O cartaz de espectáculos é outra das mais-valias da iniciativa e, explica Brito Dias, foi pensado para garantir a animação quer da exposição de artesanato, quer das tasquinhas. “Fizemos um programa de acordo com a nossa dimensão e, acima de tudo, atractivo, dando palco, no primeiro dia, aos artistas locais”, afirma.

Na sexta-feira, a presença de Mickael Carreira tem significado especial, já que o jovem cantor “é também um filho da Pampilhosa”, e no dia seguinte, o desfile da Marcha de Alfama – que venceu as Marchas de Lisboa – e da Marcha da Pampilhosa da Serra é outro dos pontos altos.

A colaboração da Marcha de Alfama não é de agora, já que, afirma Brito Dias, “a direcção inclui várias pessoas que têm uma ligação de grande proximidade com o nosso concelho e, por outro lado, residem em Alfama muitos descendentes de pampilhosenses”.

O projecto Amália Hoje, no sábado, e a noite “inspirada nos anos 80”, no domingo , com os Abba.UK, José Cid e a Mega Disco Anos 80, entram nas contas do autarca para a captação de público. Aproveitando o elevado número de empresários sedeados no concelho, a Feira de Artesanato e Gastronomia contará com um sector dedicado aos equipamentos de diversão. “O concelho tem 40 empresários nesta área, pelo que não podemos ficar indiferentes à riqueza e aos postos de trabalho que representam”, disse.

Para Brito Dias “estas são as festas do concelho e não as festas da vila”, justificando deste modo o envolvimento da autarquia. “São as festas de todos os pampilhosenses – e não só. As associações e instituições a quem foi pedida colaboração, abriram as portas de par em par, o que é excelente”, considera.

A participação no certame e o apoio em “todos os trabalhos que são necessários”, são outros factos positivos para o autarca.

Brito Dias aponta as acessibilidades como um “constrangimento” que impede o aproveitamento das potencialidades do concelho da Pampilhosa da Serra.

Enquanto o cenário não se altera, explica o presidente da Câmara, “vamos lutando como podemos para tentar inverter o processo de desertificação”. A melhoria das condições para os empresários é um exemplo da política do executivo municipal, que promoveu a construção de seis pavilhões para outras tantas empresas. “Estamos a apostar, também, no turismo de natureza e criamos vários percursos pedestres, nomeadamente entre os investimentos realizados no âmbito das Aldeias de Xisto e com passagem pelas nossas praias fluviais que, como sabe, são de rara beleza e têm água de excelente qualidade”, sublinha. Na manga, avança Brito Dias, temos um projecto “único” até na Península Ibérica. Chama-se “Ventania”, mas o presidente da Câmara Municipal da Pampilhosa da Serra não se alarga nos comentários, já que está ainda em fase de estudo. “Temos de definir a forma de o implementar porque tenho para mim que fazer mais do mesmo não vale a pena. Temos de fazer algo diferente, algo que não exista nas proximidades”, defende. A criação de postos de trabalho é outro dos objectivos do projecto, que além de “engraçado” é, também, diferenciador e que, quando chegar à prática, “terá a capacidade de fazer muito pela Pampilhosa da Serra”. As obras nas ligações a Coimbra são outras das preocupações de Brito Dias. “Espero que não sejam feitos apenas o IC3 e o IC8, pois todas as obras que estão previstas também são importantes”, confessa.

Quanto às novas gerações, o autarca deseja que “continuem a gostar da sua terra e, acima de tudo, que não fiquem à espera que as coisas aconteçam”. Os encontros de aldeia, iniciativa da autarquia, são um êxito e permitem a troca de ideias. “Ninguém está dispensado de participar no desenvolvimento”, conclui.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.