Góis é dos concelhos com menos fogos

Góis é um dos concelhos do distrito de Coimbra onde a área ardida é menor. E é, também, aquele onde o número de ignições (focos de incêndio) é quase imperceptível.

Embora reconheça que, para este resultado, tenha contribuído uma boa dose de sorte, Lurdes Castanheira, presidente da autarquia, não deixa de fazer referência a todo o trabalho que foi sendo feito ao longo da última década na área da prevenção de fogos florestais.

Apesar de os números – que foram divulgados pelo governador civil do distrito de Coimbra no último sábado –, serem animadores, a autarca não cruza os braços.

Ao DIÁRIO AS BEIRAS, Lurdes Castanheira destaca o “trabalho fundamental” da Associação Florestal do Concelho de Góis.

É na defesa dos produtores e na elaboração e acompanhamento de projectos florestais que a associação tem vindo a desenvolver a sua actividade.

Sendo uma das maiores riquezas do concelho – a área florestal representa cerca de 60 por cento do território de Góis –, estão em fase de constituição duas Zonas de Intervenção Florestal (ZIF), que traduzem a vontade de caminhar rumo a um desenvolvimento sustentável. Um delas será a ZIF do Sinhel (na freguesia de Alvares) e a outra a ZIF do Penedo.

Prevenção de incêndios

As ZIF foram criadas pelo Governo em 2005 para ultrapassar o problema da dispersão de propriedades. A lei incentiva os pequenos proprietários a unirem-se em áreas territoriais contínuas com um único plano de gestão florestal e defesa da floresta e geridas por uma única entidade.

Juntando pequenas propriedades (minifúndio) num único território de grande dimensão, as ZIF apresentam como vantagens a diluição dos custos de manutenção, é dada maior abrangência às infra-estruturas de prevenção de incêndios e aumenta o leque de resíduos e materiais florestais que pode ser rentabilizado, entre outros benefícios.

Lurdes Castanheira não deixa de frisar que a ZIF do Penedo só poderá avançar caso a câmara municipal também integre o plano de gestão florestal, tendo em conta que a autarquia é proprietária de mais de 70 por cento da área necessária para constituir uma ZIF. A presidente do município não tem quaisquer dúvidas. “É claro que vamos aderir, até porque temos todo o interesse nisso”, salientou.

Aquela área integra a Mata da Oitava, uma zona florestal “muito preservada”, que ocupa 470 hectares da área do concelho, totalmente inseridos em Rede Natura 2000. Desde os anos 70 que aquela mata tem sido palco de diversas acções de plantação de espécies florestais adaptadas ao local e de interesse paisagístico e ambiental.

Além da Associação Florestal do Concelho de Góis, existe na autarquia um Gabinete de Apoio à Floresta, bem como o Serviço Municipal de Protecção Civil (SMPC).

One Comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.