Artur Pinho substitui maestro Virgílio Caseiro

Falta de apoios do Ministério da Cultura à estrutura motivou a saída do regente. Maestro diz, no entanto, que a decisão não é irreversível.

“Venho por este meio dizer que efectivamente me desliguei da Orquestra Clássica do Centro (OCC) quer como maestro, quer como director artístico desde a data do último concerto desta temporada, ou seja, 16 de Julho de 2010”. Foi desta forma, através da rede social Facebook, que o maestro Virgílio Caseiro anunciou a sua saída da OCC.

Em causa, estará a falta de apoios do Ministério da Cultura à estrutura, que em 2009 deixou de receber um subsídio plurianual e sobrevive com apoios da câmara de Coimbra e de empresas.

No entanto, o maestro deixa uma porta aberta para regressar, mas “só e tão-somente só, se as forças vivas políticas da cidade consiguirem estabelecer uma relação de diálogo preferencial com o governo central e, muito concretamente com o Ministério da Cultura, que tenha como episódio final o reconhecimento da OCC como orquestra regional ou de equivalente estatuto e apoio”.

Recorde-se que em Fevereiro, o director artístico, já tinha vindo a público criticar a tutela. Na ocasião frisou que “o facto de haver uma orquestra regional em Aveiro não colide com a existência de uma do mesmo género em Coimbra”.

A cidade – acrescenta – há muito tempo que merece uma orquestra com “um staff artístico e administrativo igual às suas pares e condições de funcionamento semanal com a mesma carga horária”, pode ler-se na sua página do Facebook.

“Se a cidade quiser a minha participação será viável e equacionável; caso não queira, a solução passará e muito bem, por outras soluções e outros enquadramentos”, refere ainda.

O novo regente da OCC é Artur Pinho, maestro e director artístico do coro Orfeon Académico de Coimbra e coordenador do sector cultural da Associação Académica da Universidade de Aveiro. O maestro foi indicado pelo próprio Virgílio Caseiro por – frisa – já ter dado “provas da sua competência em vários concertos que fez com a OCC”.

Ao DIÁRIO AS BEIRAS, Emília Martins lamentou a saída do maestro, mas salientou que Caseiro irá continuar a desenvolver, com a Orquestra Clássica do Centro, acções de sensibilização para a música. “O projecto vai continuar”, salientou.

Comendador da Ordem de Santiago da Espada, Virgílio Caseiro é maestro do Coro dos Antigos Orfeonistas da Universidade de Coimbra e foi distinguido, recentemente, com a Medalha de Ouro da cidade.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.