“Não são os Olímpicos mas para Coimbra tem muito impacto”

FOTO DB/PEDRO RAMOS

A cerimónia de abertura deste domingo é o arranque em grande para duas semanas de muita atividade?

Sim. Vai ser uma cerimónia, sobretudo, única. E diferente de tudo o que tem sido habitual, com um desfile normal, os discursos normais, e a atuação de um artista internacional ou um espetáculo dispendioso.
Vamos utilizar o espaço único que é o Paço das Escolas, recuperar um espetáculo que teve sucesso, que foi o videomaping sobre a história da cidade, a que se acresce uma parte dedicada aos estudantes, ao desporto, e à carreira dual.

Apesar de ser uma cerimónia restrita, haverá reposições?

Sim, há reposições bidiárias até ao domingo seguinte. É também uma forma de partilhar com a cidade esse espetáculo e que todos possam assistir noutro figurino.

À parte destes espetáculos, o evento é de portas abertas?

O acesso às competições é livre e toda a gente pode usufruir, nomeadamente do Estádio Universitário, onde haverá a maior parte das competições e onde criámos espaços para que as pessoas possam usufruir desta instalação durante estes dias.
Haverá várias modalidades a decorrer em simultâneo e várias culturas, num clima único.

Quase dois anos depois de aceitar este desafio, que balanço faz? Foi mais complicado do que imaginava fazer funcionar uma máquina de organização tão complexa?

Nunca tive grandes ilusões sobre o grau de dificuldade e exigência que esta missão obrigava. Fosse pela complexidade do número de modalidades, pelas questões logísticas que envolviam as infraestruturas, fosse pela questão do alojamento, ou até pela gestão política da solução encontrada, com quatro entidades a organizar o evento.
Confesso, no entanto, que tem sido um desafio muito mais exigente do que eu pensava inicialmente.
É um evento com uma dimensão muito grande, para o que estamos habituados, até para uma cidade com a dimensão de Coimbra, e com o esforço para o manter sustentável.
Tentámos sempre envolver os estudantes e garantir que as infraestruturas eram reformuladas a pensar no dia a seguir aos jogos.

Versão completa na edição impressa

One Comment

  1. Sócio AAC says:

    Um evento único na nossa cidade que convido todos a usufruir do mesmo.
    Desloquem-se ao Estádio Universitário e aos outros recintos desportivos de Coimbra, porque vão ficar surpreendidos com aquilo que vão ver !

    Viva os EUSA 2018 ! Viva Coimbra !

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.