“Durante muitos anos as pessoas não acreditavam que eram umas boas festas”

Posted by

FOTO DB/JOT’ALVES

Quais são as novidades das Festas de S. Tomé deste ano?

As novidades são o cartaz, porque houve uma redução. Costumamos ter três artistas cabeças de cartaz e este ano só temos dois. Também privilegiamos artistas e bandas de garagem locais. E há uma novidade: nos incêndios de outubro, arderam os tradicionais palheiros para as tasquinhas, que vão continuar a existir, mas em stands alugados.

Fazer regressar a organização direta à autarquia foi uma boa aposta?

É uma aposta ganha. Às vezes, pode não agilizar. Mas, em termos de organização funcional, é melhor os procedimentos e as contratações serem feitos diretamente pelo município.

Quantas pessoas frequentam, em média, as festividades?

É um bocado difícil fazer essa média, porque não é um espaço fechado e contínuo [e tem entrada livre], mas acreditamos que, nos seis dias, passarão entre 25 mil e 35 mil pessoas pelo recinto das festas.

Versão completa na edição impressa

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.