Passadiço de um quilómetro liga aldeia do xisto a praia fluvial em Figueiró dos Vinhos

Posted by

Um miradouro no topo das Fragas de São Simão, no concelho de Figueiró dos Vinhos, a que se junta um passadiço de um quilómetro a ligar a aldeia de xisto de Casal de São Simão à praia fluvial das Fragas de São Simão é um projeto que ontem obteve luz verde por parte da câmara municipal.

 O projeto, com um custo de 400 mil euros e financiado pelo programa Valorizar, vai permitir a ligação pedonal entre o miradouro, aldeia de xisto e as Fragas de São Simão, afirmou ontem o presidente desta câmara, Jorge Abreu, durante a cerimónia de assinatura de contrato, que contou com a presença da secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho.

Ana Mendes Godinho, sublinhou que o passadiço “é um projeto emblemático”, perspetivando “muitos prémios” para aquilo que vier a ser a infraestrutura e a sua integração na natureza.

“O projeto segurar o turista, que vai poder, a partir do miradouro, percorrer todo o percurso, usufruir da aldeia, do restaurante e da praia fluvial”, notou Jorge Abreu.

Segundo o autarca, a câmara quer que o turista não passe apenas por Casal de São Simão “pela qualidade do restaurante”, mas que desfrute “dos restantes equipamentos”.

“Temos que ir mais além da fase em que nos encontrávamos em junho”, vincou o presidente da Câmara de Figueiró dos Vinhos, um dos concelhos mais afetados pelo grande incêndio de Pedrógão Grande.

De acordo com Jorge Abreu, para além deste investimento, está também previsto um projeto para potenciar o Casulo, edifício situado na vila do concelho, que foi casa do pintor José Malhoa.

“Ao todo, temos oito milhões de euros em projetos na área empresarial, do turismo, do património e da eficiência energética”, que estão consignados, aprovados ou em fase de concurso, referiu o presidente do município, vincando que este é um volume significativo, atendendo a um orçamento municipal que normalmente anda na casa dos nove milhões de euros.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.