Porto “absorve” direção da CGD em Coimbra

Posted by

FOTO DR

Os serviços da Direção Comercial de Coimbra da Caixa Geral de Depósitos foram “absorvidos” pelo Porto. Trata-se de uma medida que implica a perda de autonomia decisória.

Segundo foi possível apurar, a reestruturação funcional e orgânica da CGD vai centralizar, na Direção Comercial Norte, com sede no Porto, um largo espetro de serviços. Esta medida abrange tanto os serviços de natureza geográfica – como a Direção Comercial de Coimbra –como os temáticos, nomeadamente os adstritos a empresas e autarquias.

Recorde-se que, em março de 2017, o banco público apresentou o plano estratégico, que previa, para o horizonte 2017/20, reduzir em 25% o número de trabalhadores, e baixar para 470 a 490 o número de balcões.

Versão completa na edição impressa

6 Comments

  1. Henrique Costa says:

    Quero ver se a CMC copia o exemplo da Câmara do Porto e exige imediatamente uma explicação do governo para esta afronta a Coimbra como a CMP fez sobre a TAP!!!

    • Zé da Gândara says:

      Causa-lhe prurido que a CGD actue com tiques de empresa privada? Será que você é sem saber, comunista desde pequenino?

      Olhe… Quanto ao exemplo do Rui Tinhoso, tenho a dizer-lhe que se tratou de um fait-divers perfeitamente dispensável e que se perfila como uma atitude do nacional-parolismo que poor cá grassa… Se a oferta dita "pública" desaparece, certamente que a oferta da economia privada ajustar-se-à de modo a suprir uma necessidade (se essa necessidade existir de facto)…

      Lição de mercado #1 para tótós 🙂

  2. Pagador de Impostos says:

    Finalmente racionalização..Vamos a continuar..A Caixa é publica e não deve ser um ninho de" gobs for de boys".

    • Henrique Costa says:

      Infelizmente há muita gente em Coimbra que pensa como tu. O resultado está à vista, uma cidade a morrer… e continuas a pagar cada vez mais impostos, bateu-se o recorde este ano. Quando é que vocês vão perceber que estão apenas a contribuir para a morte da "província"?

  3. Conimbricense says:

    Coimbra continua a perder influência estratégica! 🙁

    • Zé da Gândara says:

      Coimbra não deve estar à espera de benesses e de migalhas do poder central… Se trabalhar para conseguir aquilo que existe por outros lados por mérito próprio, resolve a sua própria vida… Ou será que você defende uma espécie de RSI para as regiões?

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.