Seis anos de prisão para condutor que matou peregrinos em Cernache

O condutor que, em 2015, atropelou mortalmente cinco peregrinos e feriu outros quatro foi ontem condenado a seis anos de prisão efetiva e ao pagamento de mais de 300 mil euros em indemnizações.

Levan Moseshvili, de 26 anos, foi condenado por cinco homicídios por negligência grosseira e quatro ofensas à integridade física por negligência. Estava também acusado de condução perigosa de veículo rodoviário, mas o coletivo de juízes considerou que este crime entrava em concurso com os demais.

Os magistrados consideraram provado que o arguido, luso-georgiano, tinha ingerido álcool e consumido canábis antes de conduzir e que assumiu uma condução “temerária”, com uma velocidade acima dos 80 quilómetros por hora e com ultrapassagens bruscas no IC2.

Recorde-se que o despiste, que ocorreu numa curva junto a Cernache, pelas 03H45, do dia 2 de maio de 2015, atingiu um grupo de cerca de 80 peregrinos que se deslocava de Mortágua em direção a Fátima.

O arguido arriscava, em cúmulo jurídico, uma pena entre “os dois anos e nove meses e, no máximo, 17 anos e cinco meses de prisão”. Ao aplicar a pena de prisão efetiva, o Tribunal teve em consideração “as exigências de prevenção geral nos crimes rodoviários”, explicou a juíza que presidiu ao coletivo, recordando vários depoimentos que atestaram a condução perigosa do jovem.

Toda a informação na edição impressa de hoje, 7 de dezembro de 2017, do DIÁRIO AS BEIRAS

One Comment

  1. Zé da Gândara says:

    Seis anos? Tanto tempo? Há que recorrer e uma vez convertida em efectiva a pena, há que, atendendo ao bom comportamento do moço, reduir para um décimo o tempo efectivo de pena, para reintegrar o moço na society o uanto antes 🙂

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*