Re-food Coimbra celebra dois anos de atividade com vontade de crescer

Posted by

O núcleo de Coimbra da Re-Food, que celebra dois anos de atividade e assume vontade de crescer, anunciou hoje que necessita de um centro de operações e de mais voluntários para alargar a sua ação.

A organização sem fins lucrativos Re-Food, que combate os desperdícios alimentares, instalou-se em Coimbra no final de 2015 e, segundo os seus responsáveis, “desde então tem combatido o desperdício alimentar distribuindo excedentes por uma rede com cerca de 120 beneficiários”.

Até ao momento, a instituição distribuiu “mais de 4.000 pães e 3.500 bolos”, pois tem atuado essencialmente através da campanha “Pão e bolos”.

No entanto, segundo os gestores do Núcleo da Re-food Coimbra, “para estender o tipo de aproveitamento de excedentes é necessário encontrar instalações para um centro de operações e alargar o corpo de voluntários”.

O projeto funciona de forma regular e os seus parceiros são vários estabelecimentos da cidade relacionados com a restauração, que entregam excedentes alimentares para serem distribuídos diretamente por uma rede de beneficiários constituída por instituições de solidariedade social.

“Até ao momento, este projeto tem envolvido 14 fontes de alimentos e cerca de 120 beneficiários. Durante 2016, resgataram-se 1.590 pães e 1.278 bolos, em 2017 foram já distribuídos 2.673 pães e 2.391 bolos”, é referido numa nota hoje enviada à agência Lusa.

O projeto “Pão e bolos” tem sido “secundado por recolhas extraordinárias de alimentos excedentes, que tantas vezes surgem após jantares, festas ou cerimónias pontuais”, refere a fonte.

Segundo a Re-Food, todo o trabalho desenvolvido em Coimbra é realizado por voluntários “com sentido de cidadania, motivação e vontade de dedicar duas horas semanais ao combate ao desperdício alimentar”.

“O sucesso desta missão depende destas pessoas e, portanto, o convite à comunidade para integrar este projeto em regime de voluntariado mantém-se”, salientam os responsáveis.

No entanto, para alargar o leque de ação e conseguir que o aproveitamento de excedentes chegue a um maior número de pessoas, a Re-Food Coimbra lembra que tem procurado um espaço que possa servir como centro de operações.

“À semelhança do que já acontece noutros núcleos da Re-Food, este espaço permitirá a logística para tratar e manipular mais excedentes e, desta forma, uma redistribuição mais abrangente pelos beneficiários”, explica na nota.

A instituição procura um espaço – “no coração de Coimbra, próximo dos voluntários e dos parceiros, mas sobretudo próximo dos beneficiários” – que tenha cerca de 100 metros quadrados de área, facilidade de acesso e que permita o funcionamento de máquinas industriais para a preparação, acondicionamento e armazenamento das refeições.

A Re-Food é uma organização sem fins lucrativos, criada por Hunter Halder, em 2011, com o objetivo de reaproveitar excedentes alimentares e ajudar a alimentar quem mais precisa.

One Comment

  1. Sócio AAC says:

    Parabéns aos voluntários e aos responsáveis por esta magnífica iniciativa.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.