Quando metade de Ançã foi doada a um mosteiro galego na Idade Média

Posted by

FOTO DR

O mais antigo documento que faz referência à existência da povoação de Ançã, datado de 937 vai estar em exposição a partir das 15H00, no antigo GTL, junto à fonte de Ançã.

Juntamente com outros cinco documentos, correspondentes ao período que decorreu até 1371, esta mostra de “Ançã na Idade Média” é uma iniciativa inédita, até porque inclui uma reprodução de um outro documento (de 951), que só recentemente foi descoberto, porque está arquivado em Madrid, Espanha.

Na realidade, ambos os mais antigos escritos tratam de vendas e doações de moinhos por fidalgas da Galiza. No primeiro caso é uma alienação de um moinho por parte de Ilduara Eriz – mulher poderosa da época e nora do Conde de Coimbra, Hermenegildo Guterres – a um outro nobre.

Versão completa na edição impressa

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.