Falta de socorro foi a causa de algumas das mortes de Pedrógão

FOTO DB/LUÍS CARREGÃ

Domingos Xavier Viegas, o coordenador do relatório sobre o incêndio de Pedrógão Grande, acredita que algumas das 65 vítimas não sobreviveram por falta de socorro.

A afirmação foi feita ontem durante o seminário “As lições de Pedrógão Grande”, que decorreu no auditório do Polo II da Universidade de Coimbra (UC) e contou com a participação de dezenas de investigadores, autarcas, bombeiros e dirigentes da Proteção Civil, além de outros especialistas e profissionais e familiares das vítimas.

“Houve pessoas que precisaram de socorro e não tiveram. Não havia condições”, disse o diretor do Centro de Estudos de Incêndios Florestais da UC. O responsável deu o exemplo de duas vítimas cujos corpos foram encontrados “no meio da estrada, sem estarem carbonizados e numa zona que não tinha ardido” para explicar que “se o socorro tivesse chegado a tempo, provavelmente, teriam sobrevivido”.

Versão completa na edição impressa

One Comment

  1. Zé da Gândara says:

    "Falta de socorro foi a causa de algumas das mortes de Pedrógão" Jura? 🙂

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*