Opinião: Coimbra, Oviedo e Woody Allen

Posted by

Hélder Rodrigues

1. Oviedo, uma espantosa alegria de viver
Percorremos Oviedo com vagar. Com olhos de turista. A primeira impressão que nos envolve é a grande dinâmica da cidade! Não se vêem pessoas paradas, de mãos nos bolsos a passar tempo. Todos passam ligeiros, apressados, com objectivos definidos, com um fulgor nos olhos, com uma espantosa alegria de viver e de fazer!
O guia diz-nos que Oviedo é uma cidade burguesa, faz a gestão daquilo que se produz na Região. Por isso as actividades da gente que passa são fundamentalmente três; serviços, funcionários públicos e profissões liberais (engenheiros, médicos, advogados, artistas)
Oviedo é a cidade do “bem vestir” e é reconhecida pela Comissão europeia como uma das cidades com maior qualidade de vida da Europa.

2. A reabilitação urbana privada. Ou sou eu que sou burro?
Visitamos o centro histórico. Bonito, limpo, restaurado. Uma actividade fervilhante. Não se vê uma casa por pintar. E nesse momento penso na minha cidade à espera dum impulso destes. Pergunto qual o papel do Ayuntamiento neste estado de coisas.
A resposta vem rápida; – No que é público, tudo! No que é privado é da inteira responsabilidade dos proprietários. Existem alguns apoios financeiros públicos. Mas as coimas são tão elevadas que é melhor cada um tratar do que é seu! Quem não tem dinheiro para restaurar o que é seu não pode estar a prejudicar a cidade! Ou sou eu que sou burro?

3. A imaginação e a fantasia dos espanhóis
Visitámos a Catedral. Um Monumento impressionante. Com um guia entusiasmado por ser de Oviedo, apoiado por um número significativo de vídeos, ficamos a saber toda a sua História.
O espírito imaginativo e fantasista espanhol vem ao de cima; -Foi aqui que nasceu o caminho de Santiago (e aponta o local exacto): Este retábulo é o 3.º mais importante de toda a Espanha (e fica absorto durante uns segundos. O que será preciso fazer para ser 1.º ou 2º?); Este é o sudário de Cristo, o original (afiança a pés juntos).
O que é verdade é que os turistas menos rigorosos adoram estas estórias! Ficam surpreendidos, maravilhados, felizes e levam muito para contar quando chegarem a casa!

4. Woody Allen. Coimbra e a Região Centro
O Turismo aqui está pujante. Grupos de turistas por todo o lado. Acenam-nos com simpatia. A todos dizemos que somos de Coimbra, se querem alguma coisa para lá!
O guia diz-nos que este fluxo aumentou muito, desde o filme de Woody Allen ( 2008 ) “Vicky, Cristina, Barcelona “, que projectou Oviedo e as Astúrias para o Mundo! Uma estátua a Woody Allen, numa praça central da cidade, exprime a gratidão dos ovetenses ao realizador.
Agora que se assiste a um rejuvenescimento da actividade cinematográfica em Coimbra e sua Região, já viram o que era Coimbra lançar um repto ao realizador para um filme com a cidade dos estudantes e a Região Centro como protagonistas? Julgo que não levaríamos uma “nega”!
Apesar de todos estes aspectos positivos apontados para a cidade asturiana, na classificação final das 70 cidades inteligentes da Europa, Oviedo ficou em 47º, Coimbra logo a seguir em 48º. Paremos para pensar. Quando Coimbra tiver; a dinâmica que Oviedo tem; o centro histórico restaurado; audiovisuais em todos os Monumentos classificados; o Woody Allen cà fazer o filme, já pensaram no lugar em que nós estaremos?

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*