O presépio que nasceu do sonho e recusa tornar-se um negócio

FOTO DB/LUÍS CARREGÃ

O Penela Presépio, que se realiza entre 1 de dezembro e 7 de janeiro, espera atrair à vila 50 mil pessoas, gerando ganhos de meio milhão de euros na economia local. Ainda assim, garante o presidente da Câmara Municipal de Penela, o evento “é solidário e recusa a mercantilização”.

A iniciativa que vai na 11ªedição, custa cerca de 100 mil euros aos cofres da autarquia. Contudo, a bilheteira apenas consegue angariar 60 mil. “Do ponto de vista financeiro não é sustentável”, assumiu ontem o autarca de Penela, Luís Matias, na apresentação do evento. “Mas se cada pessoa que venha ao Penela Presépio deixar 10 euros, em 50 mil visitantes teremos retorno de meio milhão de euros”, continuou, desvalorizando a questão financeira.

“O saldo negativo que temos é muito menos do que o que muitos municípios gastam só em iluminações de Natal”, observou, sublinhando que as receitas são canalizadas para a área social da autarquia. “O Penela Presépio nasceu do sonho e assim vai continuar a ser, não queremos a mercantilização dos sonhos e daquilo que é o Natal”, assegurou.

Versão completa na edição impressa

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*