Proteção Civil diz que situação é “bastante complexa” e aponta “escassez de meios”

Posted by

FOTO DR

A Proteção Civil classificou hoje à noite como “bastante complexa” a situação relativa aos incêndios em curso no país, sublinhando a “escassez de meios” de combate tendo em conta a dimensão dos fogos.

Num balanço à agência Lusa pouco antes das 22:00, o oficial de operações da Proteção Civil, o comandante Paulo Santos, afirmou que não houve incêndios dominados nas últimas horas.

“Há inúmeras localidades nas áreas de propagação. Aguardamos que a precipitação venha ajudar a debelar a situação”, afirmou o responsável.

De acordo com a página da internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), estão em curso 15 ocorrências classificadas como “importantes”, com destaque para o incêndio que deflagrou em Lousã e Vilarinho, concelho de Lousã, distrito de Coimbra, que mobiliza 787 operacionais, apoiados por 226 veículos.

“É uma área bastante extensa, com registo de diversas reativações ao longo do perímetro do incêndio”, afirmou o responsável, indicando também “danos em infraestruturas”, como num aterro sanitário.

A Proteção Civil regista no seu ‘site’ um total de 48 incêndios em curso, que mobilizam 3.658 bombeiros apoiados por 1.119 viaturas.

Das 15 ocorrências “importantes”, cinco são no distrito da Guarda, quatro em Coimbra, dois em Leiria, dois em Viseu, um em Aveiro e outro em Castelo Branco.

Depois do incêndio da Lousã, aquele que mobiliza mais meios é um dos fogos de Alcobaça (distrito de Leiria), combatido por 327 operacionais, apoiados 107 viaturas.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*