Despedidas e agradecimentos na Câmara da Figueira da Foz

Posted by

Foto: DB-Jot’Alves

 

 

A vereação do atual mandato da Figueira da Foz, que se reuniu, ontem, pela última vez, despediu-se, com troca de elogios e agradecimentos, e aceitou  posar para a fotografia, reforçando, com o testemunho perpétuo da imagem, o espírito democrático que haviam expressado através das efémeras palavras.

 

João Ataíde, que vai continuar na cadeira do poder, agora com uma maioria absoluta ainda mais confortável, sublinhou que os “desentendimentos naturais” não impediram um relacionamento político “sempre abordado com cortesia e a elevação que eram necessárias”.

Do PS, saem os vereadores António Tavares e João Portugal, ambos por vontade própria, tal como Tiago Castelo Branco, chefe de gabinete do presidente, que também usou da palavra para agradecer aos presentes e ausentes que com ele se relacionaram durante cerca de seis anos. Teresa Machado, do PSD, por sua vez, põe fim a 16 anos de vereação, ou seja, quatro mandatos consecutivos, repartidos, em partes iguais, pelo poder e pela oposição.

João Armando Gonçalves, também do PSD, despediu-se de oito anos de serviço autárquico, enquanto Anabela Tabaçó e Ana Catarina Oliveira, do mesmo partido, cumpriram um único mandato.

A nova vereação e assembleia municipal tomam posse no próximo dia 20.

 

 

Informação completa na edição impressa

One Comment

  1. Zé da Gândara says:

    A senhora engenheira Ana Catarina Oliveira vai deixar de ser vereadora, o que é de lamentar porque era uma voz activa ao serviço das populações "das Gândaras", de mais a mais quando por esta altura, tão necessária era na defesa acérrima dos interesses dos agroganaderos da zona do Pocinho… É que o "Sim" ganhou no referendo do caulino que teve lugar no último dia 01/10… Lá vai a empresa caulineira, carente de matéria-prima a preço simbólico começar com as expropriações dos terrenos dos agroganaderos "das Gândaras"…
    E mesmo a empresa onde a senhora engenheira exerce cargo de especial complexidade, irá sofrer o impacto dessa actividade extractiva… Deixarão de se criar porcos nas Gândaras, onde se sabe que a empresa da senhora engenheira se abastecia de matéria-prima… Enfim… RIP Pocinho!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*