Uma República como alternativa para estudar e viver em Coimbra

Posted by

FOTO DR

Setembro é tempo de procura de alojamento para novos estudantes, em Coimbra. Quartos não faltam, a maioria caros e com precárias condições. Já as residências sociais escasseiam.

Do que pouco se fala é das Repúblicas. E, no entanto, é quase impossível encontrar um quarto – ou melhor, uma casa e uma comunidade – mais barato.

Veja-se o caso da República Rosa Luxemburgo – a primeira e durante décadas única exclusivamente feminina. Como acontece com frequência, em cada início de ano escolar, há residentes que acabam os cursos e deixam Coimbra, pelo que a meia dúzia de quartos da casa dispõe, sempre, de “vagas”.

Versão completa na edição impressa

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*