De cadeira de rodas desde Coimbra até ao Vaticano

Posted by

Edgar Silva em Coimbra a caminho de Santiago

Edgar Silva quer chegar ao Vaticano de cadeira de rodas. Nesta segunda-feira, partiu de Coimbra rumo a norte, pelo Caminho de Santiago. Para ele, como diz o outro, “não há longe nem distância”. Só uma inabalável força de vontade…

Nasceu, há 55 anos, com paralisia cerebral. Da família, emigrada em França, só viria a separar-se já adulto. Foi viver para a aldeia dos pais, Seixal, no concelho da Lourinhã. Aqui há uns anos, soube de uma caminhada de gente da terra até ao santuário do Bom Jesus, em Carvalhal, no vizinho concelho do Bombarral. Teimou em ir e, de tanto insistir com o organizador – José Garcia, reformado e peregrino de Santiago –, lá seguiu viagem com os demais caminhantes.

Esses primeiros 28 quilómetros mudaram a vida de Edgar Silva. Tempos depois, o já então amigo José Garcia promove nova caminhada, agora solidária, para angariar fundos que permitam pagar uma cadeira de rodas mais moderna e funcional.
Em outubro de 2015, Edgar aventurou-se na sua primeira grande caminhada, então com destino a Fátima. Entretanto, ele e os seus muitos amigos fizeram germinar uma ideia verdadeiramente peregrina: organizar o Trilho do Cadeira de Rodas e ligar Fátima ao Vaticano.

O caminho faz-se caminhando, como também diz o outro. Por isso, a aventura contempla diversas etapas. A primeira ficou concluída em junho e ligou Fátima a Coimbra. A segunda começou ontem, em frente do Portugal dos Pequenitos. Ali tinha à sua espera José Roseiro delegado em Coimbra da Associação Espaço Jacobeus, que acompanhou Edgar e os companheiros peregrinos – José Garcia e Rui Miranda.

Esta etapa a partir de Coimbra vai terminar no Porto, no próximo sábado, se tudo correr bem.

Depois de uma paragem para o afago da terra e da família, o projeto é regressar ao Porto para fazer a ligação a Valença e, finalmente, Santiago de Compostela. Para outra altura estão guardados os perto de 900 quilómetros do Caminho Francês (em sentido inverso), com ligação a Lourdes. E, por fim, não se sabe ainda bem quando, o “esticão” até Roma.

Edgar Silva não era um homem por aí além devoto. Agora, José Garcia admite que “está cada vez mais crente”. Ainda assim, não quis arriscar meter-se ao caminho para estar, a 13 de maio, com o Papa Francisco, em Fátima. Mas resolveu bem a coisa. “Mandei uma t-shirt do Trilho do Cadeira de Rodas ao Presidente da República e pedi para ele tratar de conseguir que o Santo Padre a assine”, conta. Ora, é justamente essa camisola devidamente rubricada que Edgar pretende ir ao Vaticano “resgatar”…

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*