“A culpa é toda minha”

Posted by

FOTO DB/LUÍS CARREGÃ

Levan Moseshvili assumiu ontem toda a culpa do acidente que vitimou cinco peregrinos na madrugada de 2 de maio de 2015 no IC2, junto a Cernache.

Apesar da confissão não ter sido espontânea, o condutor da Geórgia emocionou-se durante as suas declarações, considerando mesmo “muito triste” o sucedido naquela data. “Eu não quero culpar ninguém. Fui eu que provoquei esta tragédia”, salientou.

Sobre os factos ocorridos antes do trágico acidente, e que segundo a acusação apontam para uma condução “com acelerações e travagens bruscas, a uma velocidade desadequada”, o arguido de 26 anos desmentiu essa possibilidade.

Levan Moseshvili afirmou que vinha à conversa com um amigo e que, chegado ao local do acidente, “a traseira do carro fugiu” indo embater nos peregrinos que seguiam em direção a Fátima.

Sobre a velocidade a que circulava, o jovem georgiano não conseguiu precisar “até porque não ia a olhar para o conta-quilómetros”, mas admitiu não ser superior aos 70, 80 quilómetros/hora. “Bem inferior ao limite”, precisou.

Versão completa na edição impressa

2 Comments

  1. Poortugues says:

    Dois anos depois continuamos a reservar faixas de ICs para as pessoas andarem a pé. Se o jovem tem alguma culpa as autoridades que continuam a permitir que ali se passe a pé não têm menos. É um dos casos onde nem depois de casa roubada se colocam trancas à porta.

    • Zé da Gândara says:

      Andar a pé nas bermas das estradas em PT é um verdadeiro acto de masoquismo e de irresponsabilidade… O civismo e a urbanidade ainda não chegaram à estrada em PT…

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*