Grupo de cidadãos organiza manifestação “Figueira Anti-Tourada”

Posted by

Um grupo de cidadãos da Figueira da Foz promove hoje um protesto contra a realização de touradas na cidade. A iniciativa, intitulada “Figueira Anti-Tourada”, inicia-se com uma concentração às 20H00 na Praça da Europa, junto à Câmara Municipal, seguida de uma marcha a pé de cerca de 1,5 quilómetros que percorrerá a cidade até às imediações do Coliseu Figueirense, local onde o movimento ficará em protesto durante a realização da 53.ª Grande Corrida TV, promovida em parceria com a RTP.
O movimento de cidadãos, que se diz sem qualquer conotação partidária, quer abolir as corridas de touros no município, que consideram ter “valores contrários a tudo o que uma sociedade moderna e evoluída defende, com a agravante de usufruírem de financiamento, promoção e mediatismo, por parte de entidades públicas”. O objetivo é que “a ação seja inclusiva e que todos os figueirenses se juntem a este movimento”.
Com esta ação, o movimento “Figueirenses Anti-Tourada” pretende manifestar a sua indignação contra aquilo que diz ser “um ato bárbaro de tortura animal, que não encontra qualquer justificação ética e moral em pleno século XXI”.

5 Comments

  1. Zé da Gândara says:

    Esqueceram-se estes senhores de que a política anda de mão dadas com a tourada no modus operandi 🙂 Se acaba a tourada, vem aí uma ditadura 🙂

    • Joana Pimenta says:

      Pedindo de empréstimo alguma coisa escrita pelo muito competente filósofo português Pedro Galvão, dizemos o seguinte: Tanto na política, como na tourada há vantagem em adoptar uma perspectiva mais ampla. Em vez de nos centrarmos apenas na própria prática da política, há que reflectir nos seus efeitos no modo como são tratadas as pessoas em geral (e na tourada, os animais touros). Na política, por muito aprazível que seja, ou tenha sido a vida dos políticos, é inegável que a sua prática tem trazido um mal ostensivo às pessoas, e para deleite daqueles que da comodidade assistem à sua agonia lenta. Na tourada, é inegável que consiste num espectáculo no qual os touros são maltratados ostensivamente para refrigério dos humanos que assistem à sua agonia. Quer na política, quer na tourada, parece aceitar-se sem incómodo de maior este tipo de comprazimento, tornando em ambos os casos – no das pessoas e no dos touros – muito difícil levar a sério os seus interesses. A política tem exercido, tal como tem sido exemplificada, um efeito muito deletério nas pessoas e também nas atitudes destas para com ela, na medida em que parece demonstrar uma atitude de profunda indiferença em relação ao seu sofrimento (seu, das pessoas). A tourada, por seu lado, exercerá sempre um efeito extremamente negativo nas atitudes das pessoas para com os animais em geral, dado que incita e promove uma atitude de profunda indiferença em relação ao seu sofrimento. A tourada parece pois ser uma prática sem qualquer valimento numa sociedade em que o bem-estar dos animais seja considerado de modo sério. Quanto à política, parece estar a trilhar este mesmo caminho. 🙂

      • Zé da Gândara says:

        Folgo em "ouvi-la e vê-la" bem, menina Joana Pimenta 🙂 continuação de umas boas férias para si 🙂

        • Joana Pimenta says:

          On fait se qu'on peut, Sr. Zé da Gândara. On fait ce qu'on peut… 🙂
          Votos de repetidas ditas e raras apoquentações para si. 🙂

  2. Ferdinando Vegano says:

    O ano passado aconteceu assim no Campo Pequeno:
    https://www.publico.pt/2016/06/03/sociedade/notic

    O sucedido ilustra bem o carácter das pessoas que são aficionadas das touradas, bem como dos entusiastas de outros espectáculos tradicionais bárbaros com animais.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*