Época de combate a incêndios florestais tem início amanhã

Posted by

Começa amanhã (segunda-feira) a época oficial de incêndios florestais, depois de um inverno e de uma primavera com cerca de seis mil fogos e uma área ardida superior a 11 mil hectares. Embora algumas destas ocorrências tivessem merecido destaque na comunicação social, a maior parte foram de pequena dimensão e dispersas.

Por agora, 15 de maio corresponde à fase Bravo da época de incêndios, aquela que ainda não obriga ao empenhamento geral de meios, mas que já vai mobilizar, até 30 de junho, 1.561 equipas compostas por 6.607 operacionais e 1.514 viaturas, segundo o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF) de 2017.

Durante este período de mês e meio vão estar ainda operacionais 32 meios aéreos (aviões e helicópteros) e 72 postos de vigia da responsabilidade da Guarda Nacional Republicana.

 

Toda a informação na edição impressa do DIÁRIO AS BEIRAS de 15 de maio de 2017

3 Comments

  1. Carlos Pinheiro says:

    Acho muita piada a certos titulos de noticias, como é o caso desta, como se este ano não tivessem já sido combatidos milhares de incêndios florestais…e ainda por cima de borla, sem qualquer apoio do estado, tudo à custa dos Bombeiros e à conta das beneméritas Associações de Bombeiros e das Câmaras que mantêm Corpos de Bombeiros Municipais.

    • ZeBombeiro says:

      À conta de quem?? sim sim… que eles não recebem o dinheiro de volta. Ai mais uma mangueira ardida. Ai um pneu rebentado.

      P.S.: é só uma nota à parte financeira. O trabalho dos bravos homens e mulheres não é aqui posta em causa.

  2. É só Piolheira 2! says:

    O país tem que se preocupar para além dos incêndios florestais, com outras questões ambientais.
    Por exemplo, sabe o português e a portuguesa que anda a consumir pesticidas – compostos carcinogénicos – nos frutos vermelhos que estão a ser produzidos em Portugal no litoral Alentejano – Zambujeira do Mar – pela companhia Norte Americana Driscoll? E sabe o cidadão que esta companhia utiliza pesticidas provenientes da companhia Monsanto, recentemente comprada pela Bayer, e que esta é uma forma subreptícia da Monsanto finalmente entrar na Europa e pela mão de uma companhia sediada na Alemanha?!
    E sabe o cidadão que isto está a suceder com o aval do Estado português e do seu actual PM?!
    Portanto, a piolheira vem de todos os quadrantes: à direita e à esquerda. Piolhos assassinos a voar e a sugar, a rodos!
    Sobre a Driscoll e sobre o aval do Estado Português:



    http://www.portugalglobal.pt/PT/PortugalNews/Pagi

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*