Dos seis helicópteros Kamov de combate a incêndios só três estão operacionais

Posted by

Foto: Carlos Jorge Monteiro

O secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, garantiu ontem, na Lousã, que no próximo ano os dois helicópteros Kamov do Estado português que se encontram avariados vão estar operacionais.

Segundo o governante – que falava aos jornalistas à margem da apresentação do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF) 2017 – uma equipa especializada da empresa russa Kamov vai deslocar-se a Portugal para “fazer um caderno exaustivo das necessidades que os helicópteros têm”.

“Será depois disso que abriremos um concurso para a reparação dos dois aparelhos, que, segundo as orientações que temos, demorará quatro meses”, disse.

Estes dois Kamov inoperacionais já não integraram o dispositivo de combate a incêndios de 2015 e 2016.

Dos seis Kamov que compõem a frota do Estado, apenas três estão atualmente aptos para voar, estando dois inoperacionais e outro acidentado, desde 2012.

Jorge Gomes explicou que para reparar os dois helicópteros pesados foi necessário um parecer jurídico do Ministério da Administração Interna, após uma abordagem à embaixada da Rússia.

A verba para a reparação dos dois Kamov está prevista no orçamento da ANPC, sendo de cerca de 10 milhões de euros.

O DECIF de 2017 conta com 48 meios aéreos na fase Charlie, considerada a mais crítica, que começa a 01 de julho e se estende até 30 de setembro, os mesmos do ano passado.

Neste período, o dispositivo envolve ainda 9.740 operacionais, 2.065 viaturas e 236 postos de vigia, além de máquinas de rasto.

2 Comments

  1. Combater fogos florestais, de helicóptero , é só desperdiçar água e dinheiro !!!!!!!!!!!!!!!

    • Zé da Gândara says:

      Melhor do que combater fogos florestais, é evitá-los e ter mão pesada com os grunhos que lançam fogo a soldo de terceiros e com os terceiros ordenantes desse acto terrorista (pese o facto de isso em PT ser virtualmente impossível porque temos um Estado que se serve dos cidadãos e não um Estado ao serviço dos cidadãos e uma indústria do fogo tentacular comodamente instalada que não gosta de ser incomodada ou ameaçada de ficar sem as suas prebendas)… Não fora isto, os fogos florestais seriam uma virtualidade em PT… Como de resto o eram no tempo do Botas de Santa Comba… Pese o anacronismo da larga maioria das ideias retrógradas e enviesadas do fulano, há que referir que o fulano foi o melhor guarda florestal que a denominada "Pátria" viu nascer, porque nesse tempo, um artista do calibre dos bandalhos que hoje em dia mandam atear fogos ou que ateam fogos sabia que se fosse apanhado ou descoberto, ficava com os ditos partidos depois de levar umas castanhadas bem dadas, se preciso fosse, num tribunal plenário ou mesmo antes de chegar ao tribunal…

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*