Opinião – Mário Soares

Posted by

Serpa Oliva

 

“O Partido Socialista já escolheu o seu campo desde sempre. O Partido Socialista é um partido de esquerda, quer instaurar em Portugal uma sociedade socialista, portanto uma sociedade sem classes, mas em liberdade, respeitando os direitos do homem, através da democracia e do consenso popular majoritário. Não fará uma revolução nem irá para um socialismo que transforma este País numa ditadura. E, do que o partido comunista deu provas durante estes meses foi, que quer transformar este País numa ditadura.” (Debate com Álvaro Cunhal em 1975 )
“Não se trata agora de meter o socialismo na gaveta, mas de salvar a Democracia.” (Tomada de Posse do 2º Governo Constitucional de Coligação entre PS e CDS, 1978 )
Sou um Homem de Esquerda. Sou Socialista, mas antes de ser socialista, sou democrata. E, antes ainda sou Português” (Soares de Maria João Avilez, 1978 ).
“Os problemas económicos em Portugal são fáceis de explicar e a única coisa a fazer é apertar o cinto” (Declarações ao Diário de Noticias – 27 de Maio de 1984 )
“Por muitos anos que viva nunca poderei agradecer suficientemente a Marcelo Caetano ter-me expulsado de Portugal.” (Político Confessa-se, Mário Soares, 2011 )
Foi este Homem que nos deixou no dia 7 deste mês.
Temos necessariamente que lhe reconhecer uma vontade indomável no atingir dos objetivos a que se propunha.
Seguramente que contribuiu de forma decisiva, num célebre discurso na Fonte Luminosa em 1975, para nos libertar de uma ditadura comunista que nos empurrava a todos para o Campo Pequeno.
O processo de descolonização está ainda mal estudado para se saber até que ponto a sua interferência possa ter sido positiva.
Levou-nos a entrar na Comunidade Europeia, e isso foi um bem inestimável que nos ajudou a crescer exponencialmente.
Foi, como todos os grandes Políticos, um homem controverso, um Deus para uns, um diabo para outros.
Não posso deixar de recordar Maria Barroso, uma Senhora na verdadeira acepção da palavra, e que foi garantidamente uma retaguarda de inesquecível valor.
Independentemente das críticas ou elogios que lhe possamos traçar nesta hora de perda, principalmente para a Família Socialista, temos que reconhecer que morreu gente que se bateu até ao fim por aquilo em que acreditava. E isso é a maior das suas virtudes.
Por mim, resta-me pedir a Deus que o receba na Sua infinita misericórdia e lhe conceda uma eternidade em Paz.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*