GNR explica queda de militar na visita de governante à Mealhada

Posted by

800[1]

Uma guarda da GNR sofreu hoje, sábado, ferimentos ligeiros, na Mealhada, quando protegia a saída da secretária de Estado da Adjunta e da Educação, cujo automóvel foi rodeado por vários manifestantes de escolas do ensino privado.

Segundo a Câmara Municipal da Mealhada, os incidentes ocorreram junto ao Cineteatro Messias, quando a secretária de Estado Adjunta e da Educação, Alexandra Leitão, abandonava o cineteatro, no seu carro, após participar na abertura do 7.º Encontro com a Educação, promovido por aquele município.

“Uma multidão de gente, de vários estabelecimentos de ensino privado, que se manifestavam à porta em protesto contra a intenção do Governo de alterar a política dos contratos de associação, rodeou o automóvel da governante e no meio da confusão a militar da GNR acabou por cair no chão”, refere um comunicado da autarquia.

Fonte do Comando Territorial de Aveiro da GNR disse à agência Lusa que, no “momento da confusão, a militar desequilibrou-se e caiu” e sofreu ferimentos, que a obrigaram a receber tratamento hospitalar, mas que às 13H40 já estava de novo ao serviço.

A mesma fonte adiantou que o incidente ocorreu cerca das 12H00 e que não houve nenhum manifestante identificado, por se ter tratado de um acidente e não de um ato deliberado. A Câmara da Mealhada lamentou o caso e manifestou “a sua solidariedade à militar”.

2 Comments

  1. Sofia Gonçalves says:

    Para quem esteve na manifestação sabe que o teor da notícia é verdadeiro e o seu título completamente INADEQUADO E FALSO.
    Sr. Jornalista, qual é a coerência entre o título e o corpo da notícia?…

    Sofia Matos Gonçalves

  2. Odeteluis@gmail.com says:

    Boa Noite Sr. Diretor
    O título é uma mera cópia da nota da lusa!!! e nada tem a haver com a notícia!!
    O senhor Diretor permitiu ou autorizou que assim fosse??
    A liberdade de Educação é um direito e não precisa de ser autorizada!!
    Será que deseja para os seus filhos ou netos que seja o estado a "mandar " nos seus interesses de optar por um projeto EDUCATIVO ( e escola) que não está nos seus interesses
    Agradeço que não permita o que o seu subordinado fez!!!
    Se assim continuar, irei cancelar a minha assinatura nas Beiras, onde já estou à uns anos!!
    Cump.
    Odete Luis

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*