“A Académica é um gigante adormecido que não consegui despertar”

Foto Carlos Jorge Monteiro

Foto Carlos Jorge Monteiro

Está decidido e ponto final. “Não me vou recandidatar”, assume, taxativamente, Carlos Gonçalves, presidente da Secção de Basquetebol da Académica.

A secção vai a eleições no próximo dia 28 e há muito que o presidente assumiu que estava na altura de se “resguardar”. “Foram quatro anos muito desgastantes e este último foi muito complicado”, diz. “Está completamente fora de questão voltar atrás. Quem me conhece sabe que nunca volto com a minha palavra atrás”, diz.

O dinheiro é sempre um problema, mas há mais, o que leva o dirigente a dizer que não sai satisfeito em termos pessoais. “Passei, durante este ano, mais tempo à procura de dinheiro do que a ser propriamente dirigente desportivo”, lamenta. “Tinha algumas ideias que não consegui pôr em prática, primeiro porque passei diariamente à procura de dinheiro para tapar buracos e depois porque não temos pavilhão para as desenvolver”, acrescenta.

Versão completa na edição impressa

 

2 Comments

  1. Henrique Costa says:

    A Académica, a Universiade, o Hospital, a cidade são todos gigantes adormecidos que não há meio de despertarem. Bastava só um pouco de orgulho e vaidade naquilo que somos que fácilmente se tornaria em exgência e dedicação para a seguir o gigante se erguer das águas!!!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.