Ribeirense anseia por ajuda para arranjar estragos do temporal

13 CAMPO RIBEIRENSE LC  (2)“E tudo o vento levou”. Esta podia bem ser a legenda das fotografias que a equipa da Ribeira de Frades enviou para a câmara municipal após o temporal de 19 de janeiro.

O Ribeirense vive dias complicados, sem poder jogar ou treinar no seu campo. Quase três meses depois do temporal que varreu a região, as infraestruturas do clube estão a degradar-se a cada dia que passa e as chuvas sucessivas dos últimos tempos não estão a ajudar nada.

Sede com telhado arrancado, infiltrações, balneários a degradar-se. O cenário é desolador e o clube da Ribeira de Frades tenta, por todas as vias, agilizar o processo.

O presidente do clube, Paulo Mourinho, explica que “a falta de segurança”, devido aos detritos no campo e os estragos nos postes de iluminação impedem o clube, desde 19 de janeiro, de usar as instalações.

Com perto de uma centena de atletas, o Ribeirense tem andado “com a casa às costas”, vivendo às custas da boa vontade de alguns clubes vizinhos, nuns casos e, noutros, pagando para treinar noutros campos.

 

Ver versão completa na edição impressa

One Comment

  1. Paulo Mourinho says:

    Urge rápido que a C.M.de Coimbra, ajude o desporto amador. Há direcção doS.C. Ribeirense, formular este pedido: NÃO DESISTAM. FORÇA. MELHORES DIAS VIRÃO.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.