Município de Miranda do Corvo avança com obras de requalificação do Calvário

Posted by

17 MIRANDA DO CORVO DRA Câmara de Miranda do Corvo vai avançar com a requalificação da zona do Calvário e envolvente à igreja matriz de Miranda do Corvo, tendo sido já celebrada a consignação da obra.

Trata-se de um local emblemático da vila e do concelho que se encontra atualmente com alguma degradação e fora da vivência quotidiana dos mirandenses, à exceção das utilizações religiosas do espaço.

A intervenção pretende assim colmatar o distanciamento que o Calvário tem da vila, gerando mais-valias para a sua utilização, através de uma valorização paisagística e ao nível dos acessos.

A intervenção vai assim incidir sobre quatro vertentes: requalificação e criação de condições de visitação e acessibilidade à ladeira do Calvário, torre sineira e percursos de ligação, recuperação e requalificação dos painéis de azulejos que representam a via-sacra, requalificação das infraestruturas elétricas, da iluminação e de escoamento de águas pluviais e ainda o tratamento paisagístico.

No âmbito da obra, serão removidos os pavimentos existentes, substituídos por granitos diferenciados, criando corredores diferenciados para as zonas pedonais e para as zonas de circulação automóvel. Os muros de contenção de terras serão também requalificados.

 

Ver versão completa na edição impressa

One Comment

  1. António Pinto says:

    É de salutar esta requalificação, pois as imediações do calvário é um dos ex-libris do Concelho.
    Pena é que visitei recentemente Miranda do Corvo e deparei-me com uma construção de uma tal Casa das Artes que à semelhança do edificio Jasmim é um atentado paisagístico. Miranda do Corvo não precisava de um mais um elefante branco. Outrora construiu-se uma praia fluvial onde agora constam um amontoado de ferros e instalações que deveriam envergonhar os seus autores. Pensava que as pessoas tivessem aprendido com os erros do passado ou com o bom exemplo da Quinta da Paiva. Miranda precisava outras prioridades. O dinhero dos contribuintes e o Estado do país precisavam uma melhor parcimónia e critério na utilização dos seus recursos numa lógica de money for value.A questão é que o dinheiro não é dos autarcas é de todos os concidadãos. Aproveito para lembrar que aquando da inauguração de tal "elefante branco" e como obra do regime que adquiram as placas com a indicação " Inaugurado no mandato de "….".

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.