Opinião – Já faz falta a Primavera!

Posted by

Francisco QueirósFrancisco Queirós

Faz cá falta a Primavera! Há Invernos longos e tristes. Como este. Um Inverno de descontentamento. Com castigo de resgate do tempo futuro e hipoteca do ciclo que a natureza trará a seguir. Estará comprometida a Primavera? Faz cá falta!

Em véspera do equinócio comemora-se o Dia do Pai. Em dias a crescer e com o bom tempo pela frente. Porém, o Dia do Pai Português em 2013 terá sido sentido por muitos pais e filhos de um modo diferente. Não que não tenha havido, para mal de muitos pais e filhos, dificuldades noutros tempos. Contudo, 2013 está a ser para muitos já o mais duro ano das suas vidas, pelo menos até ao presente. Portugal terá hoje cerca de um milhão de desempregados, oficialmente considerados. De facto, em termos reais, serão já um milhão e meio, ou mais. E não são mais ainda pelo facto de muitos e muitos milhares de portugueses, sobretudo jovens, estarem a fugir do país, transformados à força em refugiados noutros países da Europa e em outros continentes.

A 19 de Março comemorou-se o Dia do Pai. Este é o tempo em que, segundo a comunicação social e divulgando dados do Instituto de Apoio à Criança, tem crescido consideravelmente o número de crianças que através da linha telefónica SOS pedem apoio, confessando-se em muitos casos assustadas e perturbadas com a situação de carência económica dos pais e com o padecimento psicológico dos seus familiares, o que se traduz num sofrimento para elas próprias.

Dia do Pai, não é? Pai sem emprego. Pai sem dinheiro para dar de comer saudavelmente aos seus filhos. Pai que pensa no vestuário, nas contas da luz, da água, do gás, na renda ou na prestação da casa, no preço dos manuais escolares. “E como vai ser quando em Setembro ela entrar na universidade? As propinas! E se ficar deslocada? E o arranjo do carro? E o subsídio de desemprego que está a terminar? Até podia emigrar…Mas…Talvez…”

“Pai, vem aí a Primavera! O sol vai chegar e os dias vão ficar bonitos. Pai, eu queria que tivesses um emprego! Tu mereces!” – segredou-lhe a pequenita naquele dia do Pai.

Foi Dia do Pai por estes dias. Em dias em que se dificulta o direito a assumir com consciência e segurança a paternidade ou a maternidade. Tempos em que, como referem os jornais, mulheres grávidas são despedidas em massa.

O equinócio da Primavera chegou. Assim consta do calendário. Como o Dia do Pai na véspera. Num país onde a riqueza que não foi produzida por esses muitos milhares de homens e mulheres sem trabalho se pode avaliar em mais de 140 mil milhões €, mais de 80 % do valor do PIB de 2012!

Faz cá falta a Primavera! O sol. Os dias maiores. Dias de todos os pais todos os dias. Já chega de semanas atrás de semanas dos mercados, dos banqueiros, da troika de lá e da troika de cá.

“Pai, vem aí a Primavera! O sol vai chegar e os dias vão ficar bonitos. Pai, eu queria que tivesses um emprego! Tu mereces!”

Já faz falta a Primavera!

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.