Opinião – Falar de liberdade

Posted by

LUIS SANTARINOLuís Santarino

O pior que Sócrates poderia pensar é que regressava para “ajustar contas com os portugueses”.

 

Não costumo assinar petições, a não ser as que tenham por efeito apoiar uma causa social. Nestes últimos dias recebi o pedido para subscrever duas petições. Uma – a primeira – contra a vinda de José Sócrates a Portugal como comentador político e outra a favor. Naturalmente, assinei a segunda. Porque é minha convicção que apesar de ter cometido alguns erros, fica a kms de outros governantes.

Mas não é de erros que falo. É de liberdade. Liberdade de opinar seja em que circunstância for. Nada nem ninguém pode coartar a liberdade individual.

É um exercício perigoso, esse de desejar por efeito de algo que está ainda por demonstrar, querer contrariar, e no limite impedir, que a liberdade de expressão seja colocada em causa.

Salvo melhor opinião, o desemprego aumentou de forma assustadora, a Troika dá o dito por não dito, e o ministro Gaspar foi aos EUA – num pé e veio no outro – com a promessa de ajuda.

Até parece, deixem-me rir, que o dito ministro tem seguido com atenção o que vou escrevendo. Então não é que, eu já defendi a saída do euro após acordo com os EUA e Inglaterra? Ora aí está! Como costumo dizer…está tudo inventado! Ganda Gaspar!

Mas voltemos a Sócrates. Essa individualidade que, em curto espaço de tempo, “adquiriu” milhares de assinaturas contra e a favor!

A “cusquice nacional” – tudo o que é mulherio de soalheiro – vai ficar agarrada à RTP, esperando que Sócrates retire um papel do bolso e comece a denunciar tudo a que assistiu ao longo dos seus anos de governação. Acho que vão ficar desiludidos. Sócrates não irá fazer nada disso. Seria demasiado óbvio, além de demasiado estúpido! Se bem conheço a “peça”, irá estar acima do insulto gratuito mesmo que provocado. Irá falar do presente e do futuro, pois é isso que interessa aos portugueses. Irá fazer a avaliação dos seus mandatos projetando-os para o desenvolvimento do País.

Mas claro que, se o chatearem muito, também não descurará falar do BPN e do gamanço. Do BPN e da malta que teve conhecimento prévio do estado calamitoso a que chegou e tratou de sacar a guita sobreavaliada – de notar que conhecimento privilegiado dá cadeia. Dos submarinos comprados a alemães já a cumprir pena de cadeia. Do FREEPORT, para colocar tudo em pratos limpos, etc, etc, etc, enfim, um sem número de casos irresolúveis.

Em Portugal só vai preso que rouba pão para os filhos!

Como já se ouve falar do TGV para transporte de mercadorias e de passageiros – porque se assim não for passaremos a ser os “patinhos feios” da europa e as mercadorias só poderão “viajar” de camioneta – . “Avisam-se os senhores passageiros que, por “lapso equívoco ou engano”, o governo de Portugal esqueceu-se que faz parte da europa. Deverá mudar para o TGV estacionado na linha 2, o qual não parará em nenhuma estação ou apeadeiro até Madrid”!

O novo aeroporto deverá entrar em construção rapidamente. Um dia destes acontece um desastre sobre Lisboa e depois…bem, “depois de casa roubada trancas na porta”!

Sócrates e o PS foram derrotados. A vida é assim. O pior que Sócrates poderia pensar é que regressava para “ajustar contas com os portugueses”! Mas eu gostava, lá isso gostava, que ajustasse contas com alguns portugueses! Esses que sentindo-se acima de tudo e de todos, fossem obrigados a pegar na enxada para cultivar as vinhas e na máquina de soldar para recolocar no mar os barcos de pesca abatidos.

Só com esses, alguns desses, que andam com a crista demasiado levantada a gozar com o dinheiro e a vida de milhares de portugueses.

És bem-vindo Sócrates. Quanto mais não seja porque defendo o supremo valor do homem e da democracia; a liberdade!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*