Opinião – Esta Coimbra dos Afectos: Homenagem às Mulheres de Coimbra

Posted by

Helder_rodriguesHélder Rodrigues

1.Coimbra é uma mulher

Coimbra é uma cidade do género feminino. Não é de estranhar que duas figuras emblemáticas de Coimbra sejam a Rainha Santa Isabel (que aqui decidiu viver e ficar para sempre) e Inês de Castro (que aqui amou).

Até os ícones-chave de Coimbra são femininos; a Universidade, a Torre, a Académica, a Quinta das Lágrimas, a Praça da República, a Baixa, a Saudade, a Praxe, a Tradição, a Cultura….

“Coimbra é uma mulher…” diz uma das mais conhecidas canções portuguesas em todo o mundo e de todos os tempos. Não admira! Coimbra, uma cidade bonita, cheia de encanto e de sedução, à espera de ser amada!

 

2. Mulheres de Coimbra

Por isso esta crónica, numa altura em que se festejou o Dia da Mulher, é dedicada às Mulheres de Coimbra!

Vejo-as, por toda a cidade, a desempenhar o papel de guardiãs dos afectos e do equilíbrio da sociedade; a levar os filhos à escola, a acorrer às necessidades familiares, a fazer dos seus lares um canto de paz, de amor e tranquilidade, a ser mães toda a vida….

Vejo-as, por toda a cidade, na dinâmica do presente: na redacção dos jornais, a atender públicos exigentes nas mais diferentes actividades económicas, na coordenação de equipas de trabalho, na Administração de Empresas, nos cuidados de Saúde e na Assistência Social.

Vejo-as, por toda a cidade, na construção do futuro; a ensinar e a educar os jovens, a fazer investigação científica ao mais alto nível, a criar empresas e a assumir riscos, a construir carreiras prestigiadas, a intervir com as suas ideias na defesa dos valores de Coimbra e na construção de uma sociedade melhor.

Vejo-as, por toda a cidade, humildes, generosas, abnegadas; a fazer com que o dinheiro chegue até ao fim do mês, à procura de emprego, a dar exemplos de vida e dignidade.

Vejo-as, por toda a cidade, com o seu sorriso, a sua ternura, os seus afectos, a sua inteligência, a passar sorridentes com os seus namorados ou maridos, a tornar a cidade mais humana e luminosa.

E não vejo, mas pressinto, muitas mulheres desta cidade em apoio aos necessitados; a distribuir alimentos pelos famintos, a dar esperança a doentes dos hospitais, a consolar filhos que perderam as mães e a mães que perderam os filhos.

Oh Mulheres de Coimbra, o que seria esta cidade, se não fossem vocês?

 

3. Homenagem às Mulheres de Coimbra

Ao acaso vou-me recordando de Mulheres que muito têm contribuído, em diversas áreas de actividade, para uma Coimbra cada vez mais prestigiada e digna de ser vivida.

Maria Helena Rocha Pereira (no prestígio duma carreira); Isabel Gonçalves (na Saúde); Catarina Resende de Oliveira (na Investigação Cientifica); Irmã Teresa Granadeiro e Arminda Lemos (na Assistência Social); Teresa Mendes e Isabel Carvalho Garcia (no Empreeendedorismo); Clara Almeida Santos e Helena de Freitas (na Ligação Universidade -Cidade); Maria José Azevedo e Ana Alcoforado (na Cultura); Cristina Robalo Cordeiro (na Internacionalização); Maria Rosário Gama (na defesa dos direitos dos cidadãos); Emília Cabral Martins (na Musica). São apenas alguns exemplos mais visíveis do grande público.

Por isso, termino esta crónica deixando a minha homenagem singela a todas as Mulheres de Coimbra, sem excepção, incluindo as mais anónimas, que em tempos difíceis nos fazem acreditar -através do seu exemplo – num futuro melhor para a nossa cidade e para o nosso país.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*