Lancet acusa Comissão Europeia e governos de ignorarem efeitos da crise

Posted by

30 medicoA revista Lancet acusa os governos e a Comissão Europeia de “explicitamente fecharem os olhos” aos efeitos da crise e da austeridade na saúde das populações, apesar de ser claro o aumento dos suicídios e outras doenças.

“Os governos da Europa e a Comissão Europeia explicitamente fecharam os olhos aos efeitos [da recessão] na saúde”, disse o diretor científico do Observatório Europeu dos Sistemas e Políticas de Saúde, Martin McKee, numa conferência de imprensa em Londres.

Na apresentação da primeira série da Lancet dedicada ao estado da Saúde na Europa, na última quarta-feira, Mckee sublinhou que a única conclusão possível, “depois de todo o esforço” que a comunidade científica fez para chamar a atenção dos governos, é que “há um claro problema de negação dos efeitos da crise, embora estes sejam muito aparentes”.

No artigo, o último de um conjunto de sete publicados na revista científica, os investigadores apelam às personalidades da saúde pública que quebrem o silêncio sobre os efeitos da crise e da austeridade na saúde dos europeus.

O artigo alerta que os efeitos da crise e da austeridade na saúde dos europeus estão já a manifestar-se, nomeadamente no aumento dos suicídios e das doenças mentais. Além desses impactos, que os cientistas consideravam previsíveis, há outros que os investigadores não esperavam, como o surgimento de surtos de VIH ou de doenças como o dengue e a malária na Europa.

 

 

Ver versão completa na edição impressa

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.