Câmara de Porto de Mós propõe novas instalações à GNR para evitar fecho do posto de Mira de Aire

GNR DR

A Câmara de Porto de Mós propôs à GNR a mudança de instalações do atual posto localizado na freguesia de Mira de Aire para evitar o seu encerramento, disse à Lusa o presidente da autarquia.

“O posto pode ser instalado no Centro Cultural Mirense, funcionando numa metade do edifício e a associação que ali tem sede na outra metade”, informou João Salgueiro, depois de a GNR ter admitido encerrar o posto de Mira de Aire por falta de condições num imóvel que é propriedade da Câmara de Porto de Mós.

“É importante para nós a manutenção do posto, até porque a sua área de intervenção é bastante alargada e vai muito para além da freguesia de Mira de Aire, chegando à freguesia de São Bento”, justificou o presidente da Câmara.

O espaço proposto “é moderno, amplo e de construção recente”, sendo necessárias “apenas algumas obras de adaptação” que “a Câmara já manifestou disponibilidade para assumir”, frisou.

No final de janeiro, foi tornado público um relatório da Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) no qual são identificadas unidades policiais “com algumas deficiências, seja em razão do estado de conservação, seja em razão da inadequação à função, sendo que algumas delas oferecem condições muito precárias de trabalho e de dignidade para o atendimento dos cidadãos”.

O relatório propõe que sejam tomadas diligências com vista à resolução dos problemas no posto de Mira de Aire, do Comando Territorial de Leiria da GNR, “onde não estão reunidas as condições mínimas para funcionamento de uma unidade policial”.

Das 47 unidades policiais visitadas pela IGAI em 2011, apenas oito reuniam “boas condições” nas zonas de detenção. Nas restantes, foram detetadas irregularidades que podem pôr em perigo a integridade física dos detidos.

No que toca às condições de atendimento ao público, as equipas inspetivas da IGAI atribuíram, maioritariamente, a classificação de “bom” e “razoável” às instalações da PSP e GNR, sendo que uma pequena parte das situações se enquadraram no nível mais baixo “mau”.

Tiveram a classificação de “mau” os postos da GNR de Ribeira de Pena, Fernão Ferro, Paio Pires, Mira de Aire, Pedrógão Grande e a esquadra da PSP de Rabo de Peixe, nos Açores.

 

Texto Agência Lusa

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*