Bloco de Esquerda questiona continuidade da ortopedia do Hospital Pediátrico de Coimbra

Foto Gonçalo Manuel Martins

Foto Gonçalo Manuel Martins

O Bloco de Esquerda questionou o Governo sobre a continuidade do Serviço de Ortopedia Pediátrica do Centro Hospitalar Universitário de Coimbra (CHUC), que não consta da lista dos serviços de ação médica aprovada, informou esta terça-feira o partido.

Em caso de resposta negativa, o Bloco quer saber os motivos que justificam a extinção e, em caso de resposta afirmativa, o partido questiona o Governo se “garante a continuação da autonomia e diferenciação que têm caracterizado este serviço”.

Numa pergunta enviada ao Ministério da Saúde, na semana passada, os deputados João Semedo e Helena Pinto consideram que o processo de reorganização do CHUC tem suscitado “diversas dúvidas”, motivo pelo qual, em maio de 2012, requereram a audição do presidente da Administração Regional de Saúde do Centro na Comissão Parlamentar de Saúde, que nunca aconteceu.

“No início do ano de 1995, a Direção Geral de Saúde autorizou a criação do Serviço de Ortopedia Pediátrica que desde então tem vindo a funcionar com qualidade e reconhecidos ganhos para o atendimento e tratamento diferenciado de crianças e adolescentes que necessitam destes cuidados médicos”, salientam os bloquistas, no documento enviado.

O PCP e o CDS questionaram também o Governo sobre a eventual extinção do serviço de Ortopedia do Hospital Pediátrico de Coimbra.

“Que relatório ou estudo clínico fundamentou a decisão do Governo de extinguir o Serviço de Ortopedia Pediátrica como serviço individualizado do Hospital Pediátrico de Coimbra”, perguntou a deputada Rita Rato, em requerimento dirigido ao executivo de Passos Coelho.

No documento, a parlamentar do PCP procura saber “que entidades ou representantes dos profissionais foram ouvidos no âmbito desta decisão”.

Também o deputado centrista eleito por Coimbra, João de Serpa Oliva, juntamente com Isabel Galriça Neto e Manuel Isaac, também do CDS-PP na Comissão de Saúde, questionaram o ministro da Saúde sobre a intenção de eliminar o Serviço de Ortopedia Pediátrica e, em caso afirmativo, quais os motivos que a justificam.

O presidente da Câmara de Coimbra, o social-democrata João Paulo Barbosa de Melo, afirmou, hoje, na sessão quinzenal do executivo municipal, “repudiar” a possibilidade de encerramento do serviço de ortopedia do Hospital Pediátrico da cidade.

“Tudo o que ponha em causa a qualidade dos serviços do Hospital Pediátrico será sempre repudiado por todos nós, aqui na câmara”, sublinhou o autarca, assegurando que se iria “informar se realmente” há intenção dos responsáveis em acabar com aquele serviço.

 

Texto Agência Lusa

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.