“Agora é que a crise está a aparecer nas coletividades” (com audio)

Posted by

 

10 GONÇALVES SBUA JA AQR

 

| Open Player in New Window

Há coletividades a mais na Figueira da Foz?

Julgo que não. Cada uma tem a sua razão de existir. Todas nasceram para servir a comunidade onde estão inseridas.

Não é difícil criar uma coletividade e, muitas vezes, a partir de uma nascem outras, devido às dissidências. Até que ponto a autarquia deve estar disponível para apoiar este tipo de precedentes?

A câmara não tem de pagar seja o que for. A lei permite que se criem associações e todas elas têm acesso ao pedido de apoio. A câmara apoia, e deve apoiar. Averba disponibilizada pela autarquia não é aumentada em função do número de coletividades.

Existem 10 filarmónicas no concelho da Figueira da Foz. Também não são de mais?

Não. A Filarmónica 10 de Agosto suspendeu a sua atividade. Por seu lado, a Filarmónica Figueirense vai tendo alguma atividade – a única que, na cidade, vai mantendo com alguma atividade. Depois, são as outras oito, espalhadas pelas aldeias e vilas, e essas, sim, vão tendo uma atividade regular e com qualidade.

As coletividades já se habituaram ao regulamento da câmara para atribuição de apoios?

O regulamento inicial foi trabalhado minuciosamente em colaboração com a Associação de Coletividades do Concelho da Figueira da Foz e houve uma melhoria significativa. Como já passou algum tempo, há determinados artigos que podiam ser melhorados. Nomeadamente, o número de vezes que as coletividades podem requisitar o autocarro da câmara que, em alguns, é insuficiente.

A crise está a afetar o movimento associativo?

Agora é que a crise está a aparecer, com a legislação que está a ser criada. Até aqui, o poder central não nos dava nada, exceto a restituição do IVA da compra de instrumentos, e agora vem impor-nos regras que nos obrigam a prestar contas e a pagar IVA. Numa coletividade, onde se trabalha em regime de voluntariado absoluto, não faz sentido. As coletividades deviam ser consideradas consumidor final.

A Bienal do Associativismo está a fazer falta?

Se calhar, está. A última que se fez foi há quatro anos. Não sei por que é que acabou, até porque não dava despesas à câmara. Era emblemática para a cidade, porque juntava todas as coletividades do concelho.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.