Jaime Soares agradece aos poiarenses confiança demonstrada ao longo de 39 anos

Foto Luís Carregã

Foto Luís Carregã

Durante os próximos 40 anos, o município de Vila Nova de Poiares não precisará de mais infraestruturas para além daquelas que existem hoje, mesmo que a população duplique. A garantia foi dada por Jaime Soares, que ontem proferiu o seu último discurso numa sessão solene do Dia do Município enquanto presidente da autarquia.

Há 39 anos no poder, o autarca pode orgulhar-se de ter contribuído para que o concelho tivesse registado, nas últimas décadas, “níveis de crescimento extraordinário”, transformando-o “num município de grande qualidade”, muito diferente daquele que encontrou quando tomou posse em 1974, altura em que Poiares se resumia a “22 casas à volta da igreja”.

Hoje – garantiu Jaime Soares – estão construídas as infraestruturas nas mais diversas áreas, como a educação, a cultura, o desporto, necessárias para “enfrentar as próximas décadas com esperança”.

Versão completa na edição impressa

12 Comments

  1. Henrique Costa says:

    Tenho pena de ninguém ter perguntado ao Sr. Ministro que explicasse as bocas que mandou há 4 dias sobre o Pediátrico de Coimbra. Parece que na região só há "cornos mansos". Pelo menos eu e se o As Beiras deixar, deixo aqui o meu protesto!!! E não tenho nada a ver com a área da saúde, apenas como Coimbrinha me ofende que o ministro mande "umas bocas" sobre algo que custou tanto a nascer e que tanta falta fazia, ao contrário do equipamento caríssimo comprado para a Maternidade Alfredo da Costa já depois de se saber que ia fechar! E quem não se sente, não é filho de boa gente!

    • Henrique, se fosse noutra localidade, decerto que teríamos uma recepção digna de ministro, como a que aconteceu com o Passos Coelho em Coimbra… mas estamos a falar de Poiares e só quem conhece a realidade poiarense é qu esabe do que falo….

  2. Como é que é possível que esta "espécie" diga uma barbaridade destas, quando a maior parte do concelho não tem saneamento básico, não existem ETARS, as estradas estão a maior parte em mau estado, a recolha de lixo é insuficiente, o tratamento de resíduos é praticamente inexistente. Um homem que sempre se preocupou com projectos megalômanos como o Aeródromo do Bidoeiro, Campo de Golf, pavilhão multiusos, monumento ao Cristo Rei, etc, etc…. Fala somente para os que não conhecem a realidade Poiarense…. É triste….

    • O sr. MadDog deve andar a dormir ou não conhece Poiares. É precisamente ao contrário a maior parte já tem saneamento básico, existe ETAR e as estradas estão boa e tb existe recolha de lixo. Nenhuma das obras de que falou com exceção do Cristo não foram feitas por isso não se gastou nenhum dinheiro com elas. Diga-me quais foram as obras que foram feitas e não deviam…

  3. desiludido poiarense says:

    Esta afirmação do Sr. Presidente da Câmara de Vila Nova de Poiares não é nem mais nem menos que hilariante, pois é visível a existência de estradas (ruas) por alcatroar, saneamento por ser concluído (falo de 650 metros somente), caixotes do lixo por colocar, ecopontos muito escassos, tractores para despejo de fossas sépticas sem condições de segurança para circular, falta de gasóleo para os mesmos circularem, etc. Realmente se o Sr estiver a referir-se aos seus empregados (subditos policias municipais e funcionários camarários), realmente estão lançados todos os ingredientes para um futuro promissor em que os "serviçais" são a trave mestra necessária ornamentar o poder. Pena é os serviçais falarem sempre em off, pois se o patrão que se julga "dono" soubesse estava o mundo de pernas para o ar, melhor dizendo "estavam tramados". Será que já não existem pessoas dignas de serem denominadas de senhores governantes, capazes de ver/fiscalizar obras megalómanas e o mais aberrantes que possamos imaginar, sem qualquer interesse público????Em suma digo o seguinte – " Poiares não é a CAPITAL DA CHANFANA, mas sim a CASA DA MADRASTA DA QUALIDADE DE VIDA" Tudo o que disse é visível, não é uma critica vã

  4. Observador says:

    Bom dia, Sr. MadDog

    Conhece Vila Nova de Poiares?

    Muito Interessante o seu comentário sobre a enixistência de ETARS em Vila Nova de Poiares.
    No sentido da rotunda junto ao mercado Municipal que da acesso ao centro da Vila de Vila Nova de Poiares à Freguesia de Arrifana do mesmo concelho a cerca de 100 – 150 metros dessa mesma rotunda, parece-me que existe uma estação de tratamentos de residuos explorada pela empresa Aguas do Mondego.
    Estarei Certo ou Errado?

    • Sr. Observador: onde se lê "…não existem ETARS,…" deverá ler-se "…não existem ETARS suficientes,…". Ficou a faltar 1 palavra e por isso peço desculpa.
      Quanto ao resto da sua pergunta, apesar de não lhe dever qualquer tipo de informação sobre o assunto, digo-lhe que sim. SOU DE POIARES e digo-lhe que, se é assim tão observador, saberá por certo como se calcula se as ETARS se encontram dimensionadas ou não para a quantidade de habitantes que servem e se fizer as contas, verá que não….
      Quanto à estação de recolha e tratamento de resíduos sólidos, informe-se melhor porque as Águas do Mondego não exploram este tipo de infra-estruturas. A entidade correcta será a ERSUC – Resíduos Sólidos do Centro, responsável por Vila Nova de Poiares e arredores. Cumprimentos.

  5. josé almeida soares says:

    Realmente poiares e o seu "comandante" são um caso paradigmático, em que se transforma numa super metrópole para receber individualidades que se deixam comprar pelo estômago na confraria da chanfana. Poiares tem pouco mais de 7000 habitantes, e tem um divida "colossal" (como dizia alguém), divida essa que ainda ninguém conhece bem os contornos aponta-se para algo entre os 25 e 30 milhões de euros a pagar nos próximos 30 anos, divida essa que aumenta todos os meses com o pedido de novos empréstimos do município para fazer face à suas despesas operacionais, que não são pequenas fruto de ser o maior empregador da região.
    Quanto à afirmação do senhor responsável pelo desgoverno do município só pode ser irónica porque é possível a qualquer pessoa que se desloque a poiares verificar in loco o estado das ruas; mau pavimento, inexistência de passeios, ruas por pavimentar, ausência de marcação das vias. Tem também um péssimo sistema de saneamento básico, iluminação, recolha de lixo ineficiente.
    Este senhor desbaratou dinheiro dos contribuintes em obras como piscinas municipais que fechou, complexo de piscinas da fraga que fechou para obras enterrando lá milhares e mantém fechado (este era um local que atraia muitos cidadãos de fora do concelho na época balnear), cometeu um crime ambiental ao destruir cerca de 20 hectares para construir um aeródromo, hoje não passa de 20 hectares terraplanados no topo de uma serra destruindo a flora, linhas de água e novamente destruindo horas de mão de obra e combustível. É aquele que tenta construir um campo de golfe, que tem um pavilhão multiusos inexistente, que construiu um campo de futebol começando pelo relvado, campo esse que não tem equipa para jogar. Que tem uma zona industrial que se revela uma manta de retalhos em que empresas são servidas por estradas de terra batida e enlameadas no inverno, que tem um jardim que fecha nas horas após horário laboral e ao fim de semana, são tantas as "obras" que espaço disponibilizado aqui na chega para as enumerar efectivamente.

  6. Observador says:

    Sr. MadDog,
    Onde se lê…..Tratamento de Resíduos….., referia-me a Tratamento de Águas Residuais e não de resíduos sólidos.
    Logo a entidade reguladora é a empresa Aguas do Mondego e não a ERSUC como refere.
    Conclusão: Sempre se pode dar o entendimento que convêm

  7. josé almeida soares says:

    Resíduos sólidos ficam na fossa e vai lá o tractor do município despejar quando houver vaga (primeiro estão os abonados por hierarquia ou familiaridade).

  8. ze bandarra says:

    Mas o concelho de Poiares é so a vila? Onde esta o saneamento basico nas aldeias? 39 anos e não ter feito saneamento é mesmo obra. Não ter feito previsões para a manutenção do sistema de abastecimento de aguas é obra. Preve-se dentro de 2 anos a rotura sistematica dos ramais de abastecimento de agua às povoações. Quem vai pagar esses remendos? Remendos ate quando? 30 anos? Desgraçados dos que vierem a seguir.
    Estradas. Ha algumas. Mal seria se em 39 anos com invasões de propriedades particulares na altura do Prec não se tivessem feito estradas. Era o que todos os autarcas deste país faziam.
    Para se perpectuar no poder havia que fazer show off e foi o que aconteceu. Quem vai pagar vai ser o Ze Povinho que foi na canção do bandido.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.