Diário de Arzila – Ambiente e crise impõem paragem da via rápida

Posted by
DR

DR

Em Arzila, poucos são já os que acreditam que a chamadavia rápida” da margem esquerda seja prolongada nos tempos mais próximos. Parada há uma década, no Paul, a estrada “esbarrou”, primeiro, nas restrições impostas pelas autoridades do Ambiente e, depois, na crise que se abateu sobre o país.

Ainda assim há projetos, que até têm vários cenários. Um deles tem como objetivo contornar o Paul de Arzila, pelo lado sul. Trata-se de um traçado novo, logo a partir de Taveiro, que inflete para Anobra e passa depois junto a Figueiró do Campo para retomar o traçado da antiga EN 341 na zona de Formoselha e Granja do Ulmeiro.

Foi este o cenário que mereceu parecer positivo das autoridades ambientais. Mas não é, claramente, o que melhor serve as populações, garante o presidente da Junta de Arzila. Nuno Silva lembra que este novo troço ficaria sem qualquer nó de acesso. “Para além disso, implica fazer mais 14 quilómetros e aí é que não vai passar mesmo ninguém”, acrescenta o autarca.

Versão completa na edição impressa

 

2 Comments

  1. Pelo menos procurem a verdade da noticio e vejam o projecto. A estrada incia na Freguesia de Ameal.

    • José Ferreira says:

      Independentemente do local onde inicia pertencer a Taveiro ou Ameal, certo é que o projecto não serve nenhuma das populações referidas.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*