Álvaro Santos Pereira pede “transparência e segurança” no inquérito sobre o acidente de Alfarelos

Álvaro Santos Pereira

Álvaro Santos Pereira

O ministro da Economia disse esta sexta-feira que o essencial na investigação ao acidente ferroviário de segunda-feira à noite na Estação de Alfarelos/Granja do Ulmeiro, no concelho de Soure, é que garanta “transparência e a segurança dos passageiros”.

Álvaro Santos Pereira não esclareceu, contudo, se será realizado um inquérito independente, depois de hoje ter sido divulgado o relatório preliminar ao acidente e que permitiu concluir que a colisão entre os dois comboios foi motivada por falta de aderência entre as rodas e o carril, não apontando “indícios de falha humana”.

O Gabinete de Investigação de Segurança e de Acidentes Ferroviários (GISAF), organismo independente ao qual compete investigar os acidentes com comboios, está inativo desde 2011 por falta de quadros, após a demissão do seu diretor.

O governante confirmou que “existe um processo em curso para nomeação do diretor” e que “serão seguidos todos os passos técnicos que estão previstos na legislação comunitária”, sublinhando que “quer o regulador, quer as empresas [Refer – Rede Ferroviária Nacional e CP – Comboios de Portugal] têm técnicos adequados para fazer este tipo de relatórios”.

Por essa razão, referiu ter “a certeza absoluta de que o relatório técnico será da mais alta qualidade”, elaborado “pelos especialistas máximos no país”.

De acordo com o Diário da República, o GISAF “funciona de modo independente da autoridade responsável pela segurança e de qualquer entidade reguladora dos caminhos-de-ferro”.

O embate de um comboio Intercidades na retaguarda de um Regional, parado à entrada da estação de Alfarelos/Granja do Ulmeiro, na segunda-feira, pelas 21H15, provocou 15 feridos ligeiros, assistidos nos Hospitais da Universidade de Coimbra.

Oito pessoas receberam tratamento e/ou assistência psicológica de equipas do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), mobilizadas para o local do acidente.

Todos os feridos tiveram já alta médica.

 

Texto Agência Lusa

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*