Vinte anos de prisão para pai de juíza que matou ex-genro a tiro

Posted by

O tribunal de Anadia condenou na sexta-feira a 20 anos de prisão o pai de uma juíza que, em fevereiro de 2011, matou a tiro o ex-companheiro da filha.

O arguido, julgado por um tribunal de júri composto por um coletivo de três juízes e por oito jurados (quatro efetivos e quatro suplentes), foi considerado culpado de um crime de homicídio qualificado, tendo sido absolvido do crime de detenção de arma proibida.

António Ferreira da Silva, de 64 anos, terá ainda de pagar uma indemnização de 50 mil euros aos pais da vítima.

O tribunal decidiu também alterar a medida de coação do arguido de prisão domiciliária para prisão preventiva, até a decisão transitar em julgado, para acautelar o perigo de fuga.

Após a leitura do acórdão, que durou mais de quatro horas, o advogado Celso Cruzeiro, que defende o arguido, anunciou que vai recorrer desta decisão.

 

Ver versão completa na edição impressa

4 Comments

  1. Fez-se justiça!! E a filha deveria de ser suspensa da ordem dos advogados.

  2. A. Carvalho says:

    Já é tempo de haver decência neste jornalismo.

    Não entendo porque é que se diz sempre que é o pai de uma «juíza» e não se diz apenas e simplesmente que é o Sr. Fulalo tal…

    Também não entendo o porquê de escreverem «juíza» e não (uma juíz). Será que uma (atriz) com este jornalismo passará a ser uma «atriza»?

  3. A filha é juíza e não advogada….

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*