Opinião – Mais uma descarada mentira de Passos Coelho

Posted by

rosario_gamaMaria do Rosário Gama

A afirmação de Passos Coelho é mais uma descarada mentira que procura escamotear uma nova manobra de saque contra os pensionistas. O Senhor Primeiro Ministro tem que demonstrar aquilo que afirma, sob pena de estar a ofender todos os reformados e pensionistas; O Sr. Primeiro Ministro deve saber que há pensionistas com carreiras contributivas muito diversas. Certamente que nas declarações prestadas em Penela e no Congresso da JSD, estava a referir-se às pensões de quem as está a receber de modo desproporcional, nomeadamente um pequeno grupo de políticos que se auto atribuíram pensões de reforma excepcionais e que, esses sim, se reformavam com doze anos de actividade. No entanto, para a esmagadora maioria dos pensionistas o valor das pensões está em conformidade com o valor dos vencimentos da carreira contributiva efectuada no passado e com o respectivo tempo de descontos. Foi com base nesta rigorosa ponderação que as pensões de reforma foram determinadas. Assim quem recebe mais, descontou também muito mais ao longo de toda a sua vida.

Ora o Sr. Primeiro-Ministro afirma que “os reformados do Estado têm hoje pensões e reformas bem mais elevadas do que aqueles que trabalharam no sector privado”, o que, segundo o mesmo, constitui uma injustiça imensa…O Sr. Primeiro_Ministro ignora ou quer confundir quem o escuta, pois como devia saber os vencimentos médios baixos do sector privado, a que correspondem pensões de reforma mais baixas, indiciam uma baixa qualificação dos seus recursos humanos, daí o nosso fraco desenvolvimento económico. Segundo os dados divulgados pela Direcção Geral da Administração e Emprego Público (DGAEP) 55,7% dos trabalhadores da Administração Central têm o ensino superior (licenciados/mestrados/doutoramento/bacharelados) enquanto no sector privado corresponde apenas a 16,6%; e apenas 22,1% dos trabalhadores da Administração Pública Central têm o ensino básico enquanto no sector privado corresponde a 62,4%. Segundo Eugénio Rosa, é evidente que perante este grande desnível de escolaridade e, consequentemente de remunerações, a remuneração base média na Administração Pública é mais elevada, por isso os trabalhadores descontam mais por mês para a sua pensão e naturalmente têm direito a uma pensão mais elevada.

Por outro lado, as reformas dos regimes contributivos não são pagas pelo Estado. São pagas pelas quotizações dos trabalhadores e pelas contribuições da entidade patronal, incluindo as da Caixa Geral de Aposentações, onde o Estado contribui como entidade patronal, pelo que, do ponto vista económico, as pensões não devem ser consideradas despesa pública, antes pelo contrário, o Estado é devedor do sistema providencial da segurança social.

Do ponto de vista jurídico o acto administrativo de atribuição das reformas constitui um direito inalienável dos trabalhadores.

Lamentamos a superficialidade com que o Sr. Primeiro Ministro aborda estas questões delicadas. Para ele, os reformados com 1350 Euros são ricos! Recordamos que começou por dividir os portugueses do sector publico versos privado e agora quer dividi-los entre activos e reformados. Qualquer dia está a dividir os portugueses entre homens e mulheres em função das horas de trabalho de cada um.

Por isso, repetimos, mais uma vez: o Sr. Primeiro – Ministro deve demonstrar as afirmações que faz, como fazem as pessoas de bem.

20 Comments

  1. Onde estava no tempo do Pinoquio? ou tem a memoria curta? deixe-se de criticar e dê ideias construtivas, não lambe mais as botas do Seguro.

    • José Veloso says:

      Pois… a culpa é sempre do anterior governo. É essa a táctica da alternância dos governos que praticam a mesma política. E o povo deixando-se enredar por demagogias que criam divisões entre si vai cantando e rindo de imbecilidades enquanto é esbulhado.

    • João Dias says:

      V. Exª também anda a comer do pote, não? Então e a roubalheira da cambada do seu, quase de certeza, partido não contam? Por andam os milhoes dos Bancos PPP e outros que tais?

  2. tem dúvidas é?… quais foram os descontos dessas pessoas trabalhadoras? quantos anos descontaram? quem lhe paga as reformas?

    • ninguem lhe paga a reforma, foi descontada durante toda a vida activa. Nao é o senhor nem qualquer outro que me pagaria a reforma.

    • Sou reformado,e a mim ninguem me paga.Vão tirando do depósito que eu fiz durante 42 anos.de desconto até aos 65 anos..Estão sim a devolver-me o que é meu ás prestações

      • Zé Feitor says:

        Ignorante.
        Nem fazer contas sabes .

        São as actuais gerações que te andam a alimentar.

        Só espero que não sejas um daqueles animais gulosos que andamos a cevar com reformas escandalosas. Porque para esses a mama acabou.

  3. António Barros says:

    O Primeiro-Ministro está a tratar os Portugueses abaixo de cão, com todo o respeito por estes animais, pois é fiel ao seu dono. É o governante mais polémico que conheci até hoje, e, mais incompetente, mais aldrabão e ladrão quanto baste. Além de fazer cortes cegos a todos os contribuintes, vem agora inventar divisão de pensionistas e reformados, é preciso ter lata. Só por demência é que poderá confundir, contribuintes do setor público e do setor privado. Os privados são sujeitos à sua contribuição individual e mais a contribuição da sua entidade patronal os do setor público é da responsabilidade do Estado que, é sustentado pelos descontos de todos os privados a todos os níveis. Os privados para conseguirem uma pensão " milionária " de 1 000,00 euros, têm de descontar para a Segurança-Social, mais de 50 anos, muito embora apenas para cálculo sejam apurados 40, e, para isto já terão um vencimento razoável . No setor público os cálculos são diferentes, pelo menos até ao ano de 2007, recebiam a totalidade do vencimento do ativo e carreira contributiva mais curta. A partir desta data foram equiparados ao privado. Quanto aos políticos, esses basta pensarem que fizeram alguma coisa, já têm como direito adquirido a sua pensão " MILIONÁRIAAAAAAAAAAA". Coitados como são eles que decidem têm esse previlégio. A União Europeia quando verificar que estão a negociar com gatunos, vai reconhecer que os Portugueses tinham razão de dizerem que estavam a ser torturados, espezinhados e roubados por esta cambada de parasitas. Disse

  4. É preciso saber says:

    A quase totalidade das reformas actuais foram calculadas com base na seguinte forma: "de entre os ultimos 10 anos da carreira são escolhidos os melhores 5 anos". Ou seja, nos ultimos anos de vida activa os senhores da administração publica tinham quase todos atingido o topo da carreira!! e como topo de carreira eram aumentados! Vá ver a lei e ver que a nova geração está a pagar os direitos adquiridos da sua geração! porque para a nossa não vai haver nada!!!

  5. Aplaudo as palavras do autor do texto. O Estado sugou as Caixas de Previdência, agora que assuma as consequências. Os políticos destruíram o sistema de Segurança Social, com reformas milionárias ao fim de 8, 10, 12 anos de "mandatos". Eu descontei 40 anos e ainda não tenho direito a reforma, porque comecei a trabalhar com 18. Que Estado é o nosso? Penso que será de oportunistas…

  6. louco ???? says:

    O PM é mais um dos ingorantes que abundam neste Pais de nababos que nada fazem e pouco querem fazer aprovietam-se da politica para dar nas vista. Falam do que sabem – pouco, o do que não sabem a toda a ghora e instante, por isso é que em cada palavra que dizem sai uma mentira. Será que podemos acreditar nesta MENTIRA de politicos que nos DESGOVERNAM. Quando terminar o mandadto vai logo pedir a Reforma Choruda a que terá direito por ter sido governante e deputado – meia duzia de anos.

  7. alma coimbrã says:

    Na realidade a Dª Maria do Rosário tem razão quando afirma o que afirma no seu comentário. Porém, hoje, parece que hoje o nosso dinheiro desapareceu, mas não foi por magia foi por roubo legalizado. Ora vejamos para onde foram os 680 milhões da SSocial que andavam na banca a render(?) em ações do BPN, porque será que a grande maioria dos diretpres da dita Segurança Social é na sua maioria ao longo dos anos do PPD/PSD e CDS/PP, a nacionalização dos prejuizos aquem é que interessou(?) o que mais enoja é que a direita tem e sempre teve o
    amen do PS para a destruição económica e social. Mais hoje a maioria dos comentadores PSD gritam gritam mas no fundo é no sentido do aplauso, se realmente quisessem alterar o estado de coisas negativas, tinham outra atitude!

  8. Não se esqueçam das inconstitucionalidades existentes no OE, que são diversas. As injustiças em Portugal são galopantes, não existe respeito nem consideração nenhuma pelos idosos nos campos da saúde, assistência médica, aposentações. Não existe consideração nenhuma pelos nossos jovens que são aconselhados a emigrar, por aqueles que querem trabalhar e ficam sem emprego, sem casa, sem família. Os nossos filhos e netos um dia vão apontar-nos o dedo como responsáveis se nada fizer-mos. É urgente mudar Portugal. GOVERNO PARA A RUA, FIM AO EURO EM PORTUGAL.

  9. mais uma mamona assassina aflita porque esta em vias de lhe cortarem o tacho , eu ate gostava de saber qual e o valor da reforma desta senhora e como e que la chegou , se calhar ate me ia convencer a min e a grande maioria dos reformados que e' se'ria, e a reforminha dela e'perfeitamente normal isto e descontou 40 ou 45 anos para a segurança social e tem uma reforma equivalente aos descontos , ora mostre , mostre!!!!

  10. Maria Magalhaes says:

    O Sr. António. É mais um daqueles que acha que o Sócrates foi o mau da fita (comparado com estes ainda vamos ter que lhe fazer uma estátua em Lisboa). Eu que recebo por mês 990 euros desconto todos os meses só para a cga aprox.130 euros. Como trabalho à 30 anos já descontei (em média) aproximadamente 55 mil euros se trabalhar mais 15 anos que é o que me espera são mais 25/30 mil de descontos. Mesmo que me paguem 1000 euros por mês a partir dos 67 anos ainda vou ter que durar muito para receber os 80/85 mil euros que descontei, ninguém me deu nada, mas atenção que isto é directo, porque o dinheiro está e vai estar ao longo destes anos fora do meu bolso o que quer dizer que se estivesse comigo rendia juros no banco, não eram estes valores mas muito mais. O Sr. António deve estar a referir-se não aos profs, med, adm, tecnicos que trabalharam e trabalham 36 a 45 anos mas sim aos srs da politica que em 8 anos e 3 anos e 4 anos de trabalho recebem reformas de 4,5,6, mil euros.

  11. Os reformados que Maria do Rosário Gama defende são efectivamente aqueles cuja remuneração base média na Administração Pública é mais elevada, por isso os trabalhadores descontam mais por mês para a sua pensão e naturalmente têm direito a uma pensão mais elevada. quem recebe mais, descontou também muito mais ao longo de toda a sua vida, e DEVEM suportar MAIS que os OUTROS.

  12. este governo o melhor que fazia era ir governar para a famosa Republica das Bananas a que António Guterres quando estava no poder se referia.

  13. Todos falam, todos protestam, mas no final ninguém deixa de ir à festa. Governo após governo ao longo de todos estes anos fizeram o mesmo. Espoliaram este país. Quando não houver o que vender o que vão fazer? Vendem o povo? O país? Quando os políticos deixarem de querer apenas protagonismo pessoal e começarem a pensar como, deveriam, em Portugal, então talvez as coisas mudem um pouco. Na minha opinião as pensões de reforma deveriam ter um tecto máximo de atribuição fossem quais fossem os descontos feitos na vida activa. Esse tecto máximo poderia chegar aos cinco mil euros. Talvez assim pudessem subir as restantes reformas de miséria, auferidas pela grande maioria dos nossos idosos reformados.

  14. José Pessoa says:

    Pois é, este primeiro-ministro e seu governo e não só, devem prestar contas depois de saírem do poder, com uma auditoria à governação que realizaram contra os portugueses, a exemplo da Islândia, devem ser julgados e condenados, não só politicamente, o PSD e o CDS devem pagar a factura dos desmandos e os seus fautores devem caucionados.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*