Um milhar de pessoas manifestou-se em Pombal contra agregação de freguesias

Posted by

Foto Orlando Cardoso/DR

Mais de um milhar de pessoas protestou ontem em Pombal contra a agregação de quatro freguesias do concelho, no âmbito da reforma administrativa do território, considerando que os critérios não foram devidamente aplicados.

“Em Pombal, a agregação de freguesias foi feita a regra e esquadro, sem ter em conta os números de habitantes, de votantes e de área, enfim, não cumprindo os critérios definidos na lei”, disse à agência Lusa António Fernandes, presidente da Junta de Mata Mourisca, uma das que está prevista ser agregada.

O autarca, eleito nas listas do PSD como independente, queixou-se de que os critérios aplicados em Pombal “foram totalmente diferentes” dos utilizados, por exemplo, no concelho de Leiria.

“Não houve uma uniformidade na aplicação de critérios”, lamentou, referindo que o protesto desta tarde tem como objetivo travar a reforma administrativa do Governo e a votação do projeto-lei do novo mapa autárquico, agendado para quinta-feira na Assembleia da República.

António Fernandes considera que a reforma do Governo vai “desorganizar o espaço do concelho, em que freguesias com 7.000 mil habitantes vão confinar com outras de 1.500, e colocar as povoações umas contra as outras”.

Para o autarca, “este é um processo que não faz sentido nenhum” e que foi desenvolvido “sem respeito” pela vontade das assembleias de freguesia e municipal e das populações.

A manifestação foi convocada pelas Juntas de Mata Mourisca, Ilha, Albergaria dos Doze e São Simão de Litém, as quatro freguesias lideradas pelo PSD que o Governo se prepara para agregar no concelho de Pombal.

No caso das duas primeiras está prevista a agregação com a freguesia da Guia e as outras duas à freguesia de Santiago do Litém.

A manifestação realizou-se no Largo do Cardal, junto à Câmara Municipal, tendo os participantes efetuado um percurso na avenida Heróis do Ultramar, sem quaisquer incidentes, segundo a PSP.

5 Comments

  1. J.Domingues says:

    Não percebo a reclamação destas pessoas. O Governo deu hipoteses de se agregarem livremente. Só que a maior parte dos portugueses, espera, espera, para ver; depois é isto reclama, reclama. Falta de cultura.

    • Pedro Ferreira says:

      Tanto quanto sei (e estive lá) as 4 freguesias envolvidas manifestaram a sua opinião atempadamente, opinião essa que nos 4 casos era da não agregação. Ora num regime democrático essa opinião devia contar mas parece que no nosso caso não, por isso é que as pessoas reclamam e muito bem!!!! Isto é como se o governo lhe dissesse; ou casas de livre vontade com com aquela pessoa que escolhemos ou se não quiseres obrigamos-te… acha bem????

    • O espera, espera de que fala tem a haver com jogadas politas do Presidente da Câmara de Pombal. Se este tivesse tomado iniciativa juntava 3 freguesias mas dempois nas próximas eleições iria perder os votas destas pessoas. Assim com jogadas de bastidores deixou que fosse o governo a impor a unificação de 4 freguesias para posteriormente vir dizer que nada tive a haver com a junção das freguesias. A culpa é imputada ao governa PSD do qual é lider concelhio em Pombal.

  2. Zé do Manguito says:

    Deviam ser todos fusilados em praça publica. Isto da agregação de freguesias não é mais do que uma corrida ao tacho. Levanta-te povo… e luta!

  3. J. Domingues, falta cultura é que o senhor tem. Uma parte importante de Portugal não tem acesso as informações, não as entendem, Quantos nas aldeias é que ouviram falar nesse projeto das agregações ? Quantos compreenderam ?

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.