Homicida de madeireiro confessa autoria do crime

O julgamento de Jeremias Resende, alegado homicida de Manuel Nascimento, comerciante de madeiras, entrou na reta final. “Estou muito arrependido com este acontecimento. Não sei o porquê de ter acontecido uma coisa destas. Nunca tive a intenção de o fazer”, afirmou Jeremias Resende, ontem, no tribunal da Figueira da Foz, onde decorreram as alegações finais.

Questionado pelo presidente do coletivo de juízes, Miguel Veiga, sobre os motivos que terão o levado a alegadamente ter cometido o crime, Jeremias Resende, que na primeira sessão se remeteu ao silêncio, admitiu não se “recordar dos acontecimentos”, depois de ter saído da Tocha, onde ele e o madeireiro tinham sido vistos.

Recorde-se que Manuel Nascimento, de 62 anos, foi encontrado sem vida, completamente desfigurado, a 6 de fevereiro deste ano, num pinhal, na freguesia de Alhadas.

Versão completa na edição impressa

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*