IPC apela à mobilização em defesa do ensino superior

O Conselho Geral do Instituto Politécnico de Coimbra (IPC) expressou ontem “profunda preocupação” em relação ao futuro do ensino superior público e, por isso, apela a toda a comunidade que se mobilize em defesa do setor e das instituições.

Numa reunião extraordinária que decorreu apenas para debater a proposta de Orçamento de Estado (OE)para 2013, o Conselho Geral decidiu ainda escrever aos ministros das Finanças e da Educação e aos presidentes das comissões parlamentares de Orçamento, Finanças e Administração local e da Educação e Ciência, no sentido de os alertar para as “graves consequências que advirão para o ensino superior público e para as instituições” caso se mantenha a atual proposta de dotação orçamental para o setor.

Ao DIÁRIO AS BEIRAS, Rui Antunes, presidente do IPC, lembrou que a situação é de tal forma grave que o orçamento do IPC previsto para 2013 – e que inclui a dotação de OE e as receitas das de propinas e taxas – “não é suficiente para [cobrir] as despesas legalmente exigidas com pessoal e com as despesas fixas de funcionamento” (energia, água, limpeza, segurança, entre outras).

Versão completa na edição impressa

2 Comments

  1. vejam o despesismo que existe no ISCAC: cadeirões a entrada com candeieros; praticamente todas as luzes acessas durante o dia; excesso de cartazes por toda a parte; aquecedores sempre ligados, para mencionar o que está a vista…

  2. Ângelo Dias says:

    A avaliar pela quantidade de novos funcionários que os Serviços da Presidência têm vindo a contratar, ninguém diria que não há dinheiro para o funcionamento da instituição. Um jornalista sério já deveria ter exposto essa situação… e não só.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*