Opinião – O meu país é porreiro!

Posted by

 

 

Luís Santarino

Vivo num País porreiro! Ao mesmo tempo que se comemora a medalha de prata nos canoístas, ficámos a saber que a federação desta modalidade está na falência.

É surpreendente a forma como os sucessivos governos gerem a “coisa” olímpica. Parece algo de somenos importância. Parece, ou mesmo, é de somenos importância, dada a confiança que foi dada ao comandante para não comandar e ao chefe para não chefiar.

O comandante é patético. Deveria ter sido “corrido” a seguir a Pequim por indecente e má figura. Não o foi, deram-lhe “guita” e o papagaio estampou-se. Mas o estampanço não foi suficiente. Deixaram-no continuar no seu passeio alegre e patético até Londres.

Chegados cheios de esperança – esperança essa que o comandante se esforçou por esmorecer, declarando para quem o quis ouvir, “não pensem em medalhas – lá nos fomos arrastando.

Confesso que estive sempre agarrado à televisão – sorte de reformado – e vibrei sempre com a prestação dos nossos atletas, embora não resistindo aos adversários. É que, sejamos justos, àparte a grávida, meia ou totalmente maluca, todos dignificaram o seu País. Mais, dignificaram-se a si próprios, porque nunca tiveram medo de assumir que queriam ganhar.

Quem gosta de desporto, sejam quais forem as modalidades, habitua-se a respeitar os que dedicam a juventude à sua prática. Todos devem perceber que, para competir a um nível elevado, há regras que deverão ser cumpridas para, no momento da competição estar em forma.

Contrariamente, os dirigentes são muito, para não dizer, imensamente fracos. Lamentavelmente, qualquer idiota acha que pode ser dirigente desportivo. Qualquer idiota acha que pode pensar.

Somos um País que teve um comandante que disse que deveríamos fazer acordos com as ex-colónias para ter mais medalhas. Parecer-lhe-á que a Estónia, a Letónia e a Lituânia têm milhões de habitantes.

Em Portugal a culpa é sempre dos outros. Nunca ninguém assume o seu erro. Uma pena, cada um encontrar sempre um discurso manhoso para se salvar à sua incompetência!

Solidariamente, os sucessivos governos encolhem-se “afastando a água do capote” quando a vergonha é grande e manda mails quando se ganha qualquer coisa.

É necessário mudar a estrutura olímpica e de muitas federações. Deverão ser responsabilizados quando não respondem com eficiência e eficácia ao trabalho que se lhes é pedido. Não é uma questão de vitórias ou medalhas, mas de trabalho, de disciplina e de respeito pela instituição que paga. Esta Instituição chama-se POVO que paga impostos e que deseja ver e perceber, que o seu dinheiro foi bem empregue.

Por fim, uma referência muito positiva a todos os atletas de Coimbra e da zona centro. O seu trabalho e dedicação deverão ser respeitados, devidamente apoiados, para que sejam um exemplo para os mais jovens. Ganharam o estatuto de “referência”!

Temos meses para corrigir o que está errado, começando por substituir pessoas. Diálogo, trabalho, exigência por parte dos governantes, será meio caminho andado para que as federações não continuem a brincar com a prática desportiva.

Depois, teremos anos, poucos anos, para o treino, o trabalho conjunto, a análise minuciosa, para que a esperança renasça neste pobre País intervencionado.

Somos pobres, é verdade…mas de espírito, não!

FacebookTwitterGoogle+LinkedInEmailPartilhar

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>