Imaginação de sobra no cortejo da Queima

Posted by

Reconheça-se ou não, amanhã [domingo] é o dia grande da Queima das Fitas de Coimbra. Afinal, é o cortejo que, mais que outros eventos e mesmo que “desviado” da tradicional terça-feira, mobiliza a cidade e mais gente traz de fora.

Para amanhã, muito já se rezou a S. Pedro, aguardando-se luminoso o resultado da intercedência, que de pouco valeu para os dias de preparação dos carros. De qualquer forma, com ou sem sol, o cortejo – que sairá do D. Dinis amanhã, por volta das 14H30 –, a sofrer este ano do mesmo mal de que padece o país, promete. E a razão, simples, é que os estudantes, aplicados, acabaram por aproveitar a fórmula mais indicada: o que lhes faltou em apoios, sobrou-lhes em imaginação.

E é de imaginação que se trata, por exemplo, quando se mostra um carro especial, que esquece as flores garridas e se reveste inteiro de uma artisticamente esculpida e pintada pasta de papel [ver imagem anexa]. De imaginação – e oportunidade, já agora –, fazem-se também muitos dos nomes dos mais de 80 carros que farão o cortejo. E não é preciso esperar para l(v)er: de  “Cavalo de Troika” a  “Em estado de CHUC!”, merecem ainda destaque “HUC vai ser de nós?!” ou “Troikaram-nos os Covões”.

Enfim, com a imaginação à solta, resta esperar que os vapores alcoólicos não façam  muitos estragos. Porque, como destacaram todos os finalistas com quem falamos ontem, com crise ou sem ela, este é um momento especial para todos, também e cada vez mais para as famílias que conseguem pagar (propinas, livros, residência) os estudos superiores dos filhos.

Amanhã, a tarde ficará ainda marcada por outra particularidade: ao invés do que tradicionalmente acontece – por motivos “disciplinares” decretados pelo Conselho de Veteranos –, não é um carro de Medicina, mas sim um de Direito que abre o cortejo.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.