“O concelho (da Figueira da Foz) está melhor que o país”, afirma João Cardoso

Posted by

João Cardoso, presidente da ACIFF

A situação económica do concelho espelha a realidade do país?

Continuo a pensar que a realidade do concelho é um pouco melhor que a realidade do país. Nomeadamente em relação ao desemprego (metade da taxa nacional), estamos numa situação muito mais favorável. O mesmo acontece com o aumento de novas empresas, comparativamente com 2010. As insolvências e as dissoluções também diminuíram.

O Plano de Saneamento Financeiro da câmara (31 milhões de euros) salvou empresas locais?

Sei que ajudou bastante as empresas locais, porque havia algumas cuja sobrevivência dependia de receber da câmara. Se tivesse demorado mais seis meses, algumas empresas podiam ter ficado pelo caminho. (…) O plano financeiro tem o reverso da medalha: durante 10 anos não vai haver investimento público, porque a câmara não tem dinheiro, e esse é um paradigma que as pessoas têm de aceitar.

De que forma pode, então, a autarquia contribuir para a recuperação económica local?

A regeneração urbana e a remodelação do mercado municipal vão marcar a cidade nos próximos anos. Mas a Figueira tem de se unir e saber aproveitar estes projetos. Este é um projeto pelo qual a ACIFF se bate desde 2007.

Qual é a taxa de ocupação da incubadora de empresas?

Andará à volta dos 60 por cento. Estamos preocupados, porque há jovens empreendedores de Coimbra que não querem vir para a Figueira. Mas estamos a trabalhar para que a incubadora não venha a ser um problema.

Por que é que não querem vir?

Porque a cidade deixou de ter capacidade de atrair pessoas, já não é uma cidade universitária, provavelmente deixou-se parar no tempo. Por isso, acho que a regeneração urbana vai tornar a Figueira mais apelativa.

A Figueira da Foz deixou de ser “sexy”?

Deixou de ser “sexy”. Por outro lado, o número de investidores locais interessados em instalarem-se na incubadora tem diminuído muito.

Esta entrevista pode ser ouvida na íntegra no programa “Clube Privado” da Foz do Mondego Rádio (99.1FM), às 19H00 de sexta e de sábado e às 22H00 de domingo, e em www.asbeiras.pt

   

One Comment

  1. A figueira da foz parou no tempo. O desemprego é notório. Não é o Mercado que vai revitalizar a Figueira nem a Rua da Républica da China… Este senhor devia acordar para a realidade. Vamos todos a Coimbra, Aveiro e Leiria fazer compras e vamos continuar a ir enquanto não houver oferta na Figueira…

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*