Um dos maiores cerejais de Portugal começa este ano a ser plantado na Covilhã

Um dos maiores cerejais de Portugal, com 40 mil árvores ao longo de 50 hectares, vai ser plantado este ano na Covilhã, disse o empresário Paulo Ribeiro.

O cerejal vai seguir as regras de produção intensiva para gerar 500 toneladas de fruto a partir de 2015 – cerca de 10 por cento de toda a produção da Cova da Beira, um dos principais “berços” de cereja do país.

O investimento de cerca de 1,3 milhões de euros da Unitom, empresa de negociação de tomate e outros produtos agrícolas, inclui instalações para tratamento, armazenamento em frio e embalamento de cereja.

Atualmente, os terrenos da Quinta das Rasas, na freguesia do Ferro, estão a ser terraplanados. Não há socalcos nem haverá árvores dispersas, porque o objetivo é “baixar drasticamente o custo da colheita”, principal custo de produção, explicou o empresário.

No lugar de morros e penedos “vão surgir corredores, alguns com mais de um quilómetro de extensão, com cerejeiras plantadas a cada 2,5 metros, com rega gota a gota” e onde cada trabalhador conseguirá apanhar mais cereja que nos pomares tradicionais, disse Paulo Ribeiro.

Nos três meses de colheita da cereja, entre maio e julho, os terrenos deverão contar com 80 pessoas a tempo inteiro, só para apanhar cereja.

O empresário estima produzir “dez toneladas por cada hectare”, enquanto num cerejal tradicional aquele valor “ronda as duas a três toneladas por hectare”, frisou.

A diferença “é grande” e, segundo Paulo Ribeiro, é notória também no resto dos custos de produção graças à dimensão do projeto.

O problema atual “é que a propriedade é relativamente pequena” e os produtores “não conseguem ter escala” para preços competitivos e, noutros casos, nem conseguem ter quantidades para satisfazer os pedidos.

“Chegamos a ter cereja turca mais cara que a nossa na Escandinávia, porque quando os importadores pedem 300 toneladas de cereja a Portugal, ninguém as tem para vender”, disse.

Paulo Ribeiro conhece este tipo de situações por experiência própria como sócio da Unitom, empresa multinacional de negociação de tomate e outros produtos agrícolas, com sede no Fundão e que faturou 32 milhões de euros em 2011.

Segundo o empresário, “há muitos pedidos de cereja” e falta de resposta, pelo que a empresa decidiu apostar na produção do fruto “e não depender de ninguém”.

Ao mesmo tempo, o empresário faz com que a empresa crie raízes na região onde reside, evitando que o um dia “voe” para outras paragens.

O objetivo passa por “gerar riqueza na região”, sublinhando que o investimento em cerejal não se deverá ficar pelo projeto em curso: “queremos adquirir outros 50 hectares a Sul da Cova da Beira para duplicar este investimento em dois ou três anos”, disse.

Para já, o projeto do cerejal da Quinta das Rasas inclui-se no plano de investimentos com capitais próprios da Unitom e vai receber 500 mil euros de comparticipação do Proder – Programa de Desenvolvimento Rural.

9 Comments

  1. albino costa says:

    tudo o que vier ´´e muito bom para a nossa região que esta muito pobre

  2. gostaria de ser contactado sou comerciante e gostava de falar com o proprietario. Nelson 912686783

  3. maria virginia says:

    gostava de ir colher cereja em portugal tenho cv e gostava de saber como fazer obrigado

    • Rafael Lagartinho says:

      Vem muita cereja da zona do norte onde vai ser vendida para a zona de Lafões S.Pedro do Sul, eu tenho comprado todos os anos são belissimas.

  4. maria virginia says:

    eu vivo em franca e ja apanhei muita cereja aqui como vou a portugal passar tres meses gostava de juntar o util ao agradavel para fazer qualquer coisa agora moro longe e ja nao posso apanhar a cereja aqui onde moro agora obrigado pela atencao

  5. Rafael Lagartinho says:

    Em Maio Junho e Julho é a festa da cereja no Fundão com boa produção e qualidade. Estive l´o ano passado era belissima. este ano vou para Cantanhede espero comprar alguma nõ sei como mas vou procurar.

  6. Rafael Lagartinho says:

    penso que em Cantanhede nos armazens de fruta possa encontrar alguma cereja não da zona mas de castelo Branco, vou ver se arranjo. Em fins de Junho estou em S.Pedro do Sul e ai compro sempre duas caixas .

  7. Rafael Lagartinho says:

    Já estive no Fundão á dois anos e gostei imenso só vi cerejas em todo o lado na mostra de cerejas. Nunca vi tanta cereja como naquele ano.

  8. Em são julião(Portalegre) há cerejas de excelente qualidade

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*