Sousa sexto e Leal dos Santos décimo na primeira etapa do Dakar 2012

Posted by

DR

Carlos Sousa, ao volante de um SUV da marca chinesa Great Wall, foi sexto classificado na primeira etapa do Rali Dakar2012, ganha pelo russo Leonid Novitskiy, em MINI.

O melhor português de sempre no Rali Dakar, com o quarto lugar de 2003, gastou mais 52 segundos do que o piloto da MINI para completar os 57 quilómetros da “especial”, num percurso traçado nas dunas junto ao Oceano Atlântico a sul de Mar del Plata, na Argentina.

Com a ausência da Volkswagen, dominadora da prova nos últimos anos, a MINI confirmou o favoritismo que lhe é atribuído nesta 33.ª edição do Dakar, ao colocar o polaco Krzysztof Holowczyc no segundo lugar, o francês Stéphane Peterhansel no terceiro e o português Ricardo Leal dos Santos no décimo, a 2.13 minutos do vencedor.

Surpreendente foi o facto de o espanhol da MINI Joan “Nani” Roma não ter conseguido melhor do que o 13.º posto, a 2.20 minutos de Novitskiy, enquanto o qatari Nasser Al Attiyah, o vencedor de 2010, teve problemas mecânicos no seu Hummer e perdeu mais de nove minutos.

Além de ter começado a edição deste ano na mesma posição em que terminou a do ano passado, Carlos Sousa garantiu, para já, o melhor resultado de sempre de uma equipa chinesa em etapas da mais importante prova de todo-o-terreno do Mundo.

“[Fiquei] algo surpreendido pelo resultado final, uma vez que não senti ainda total confiança no carro e acusei alguma falta de ritmo nos primeiros quilómetros. Nesse contexto, este resultado foi uma surpresa bastante positiva, numa especial de dificuldade média e já com pistas muito técnicas e algo acidentadas pela passagem das motos”, disse Carlos Sousa, citado pela sua assessoria de imprensa.

Sousa voltou, no entanto, a queixar-se da posição de condução no Great Wall, uma vez que o facto de ficar sentado muito junto ao volante lhe dificulta algumas manobras, afirmando que essa é uma questão para resolver com a assistência da equipa.

“À parte disso, tudo está perfeito com o carro, pelo que vamos já começar a concentrarmo-nos na etapa de amanhã [segunda-feira], que será bastante mais longa e rápida do que esta, exigindo grande concentração de início a fim”, frisou.

Francisco Pita, ao volante de um “buggy” SMG, teve um dia atribulado, uma vez que partiu a caixa de velocidades logo nos primeiros quilómetros de prova, mas ainda conseguiu terminar a “especial”, no 127.º lugar, a 43.52 minutos do vencedor.

O “buggy” teve, no entanto, de ser depois rebocado pelo carro de assistência da equipa, cumprindo a ligação até Santa Rosa de la Pampa num comboio de três viaturas, pois em conjunto segue o atrelado do “motard” Bianchi Prata, que no sábado foi vítima de um furto.

Depois de uma etapa inaugural com um total de 820 quilómetros entre Mar del Plata e Santa Rosa de la Pampa, mas com apenas 57 disputados contra o cronómetro, a segunda tirada vai ligar esta localidade a San Rafael, num total de 777 quilómetros, 290 deles em “especial”.

Na segunda-feira a paisagem vai ser marcada pelas dunas de areia cinzenta, cor que se deve à grande atividade vulcânica registada na região em 2011.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*