Ex-alunos queixam-se que a Universidade de Coimbra está a vender diplomas sem prata

Um grupo de antigos alunos da Universidade de Coimbra (UC) acusa a instituição universitária de não estar a respeitar o “contrato de compra” que lhe foi exigido quando pediram o certificado de conclusão dos respetivos cursos.

Em causa, um despacho reitoral que introduz alterações às características do diploma tradicional da UC. Alguns ex-alunos já começaram a receber em casa os diplomas sem o selo de prata e sem as fitas com a cor da faculdade.

Recorde-se que, quando terminam o curso, se quiserem obter o certificado de habilitações, os estudantes são obrigados a adquirir, também, o diploma por cerca de 150 euros.

Acontece que, no despacho datado de 6 de dezembro, o reitor autoriza a alteração às características “únicas” do diploma da Universidade de Coimbra. Uma decisão que está a motivar uma onda de protestos na rede social Facebook onde, aliás, já foi criado o grupo “IADUC – Indignação do atual Diploma da Universidade de Coimbra”. Ao longo das últimas semanas têm proliferado acusações de que a universidade está a “vender gato por lebre”, “alterando as regras a meio de jogo”, manifestando uma “falta de honestidade a toda a linha”.

De acordo com o despacho, a valorização do valor comercial da prata – que induz “acréscimos significativos nos custos de emissão das cartas de cursos e cartas doutorais” –, terá justificado a decisão do Conselho de Gestão da UC. Foi este órgão que introduziu alterações ao valor do emolumento de emissão das referidas cartas. Assim, a carta de curso (em versão base) passou a custar 150 euros, enquanto que a versão tradicional custa agora 300 euros.

A nova carta de curso

Ora, os antigos alunos contestam o facto de terem pago um diploma com características tradicionais e de estarem a receber um diploma mais barato do que aquele que pagaram. Ou seja: ao invés de um documento “em papel específico com a insígnia da UC, aposição do selo em caixa de prata e fita da cor da faculdade”, os diplomados começaram a receber em casa um documento “sem selo pendente em caixa de prata, sem fita das cores do curso e num papel com uma gramagem muito inferior”, disse uma das subscritoras do grupo IADUC.

“Pedimos aos alunos que compreendam e ajudem a UC”

Ao DIÁRIO AS BEIRAS, Madalena Alarcão, vice-reitora da UC, disse que os elementos decorativos do modelo tradicional envolvem um conjunto de procedimentos que impõem o “recurso permanente a contratações públicas”, o que causa, além de uma “considerável morosidade, custos muito elevados”.

A entrega dos diplomas está, atualmente, com uma média de atraso superior a 10 anos”, sendo necessários mais de 800 mil euros para ultimar as cerca de 21 mil cartas de cursos que ainda não foram entregues.

Madalena Alarcão adianta que a instituição está a cumprir o que está legalmente previsto, mas viu-se obrigada a “sacrificar a tradição”.

De resto – refere a vice-reitora –, “esta carta de curso serve, tal como o tradicional, para fazer prova do grau académico de aluno. E isso é o mais importante. No entanto, a UC não deixará de emitir a carta de curso na versão tradicional se o aluno fizer muita questão”.

A responsável pede, por isso, aos antigos estudantes que compreendam a situação e ajudem a universidade, aceitando o diploma na sua versão base.

Entretanto, o grupo “IADUC – Indignação do atual diploma da Universidade de Coimbra”, que já conta com cerca de uma centena de membros, pretende enviar uma carta ao reitor e pedir um conselho jurídico para recorrer a outros meios legais, caso se justifique.

30 Comments

  1. Há sete anos à espera não quero selo de prata nenhum tem de ser de ouro pelos juros das centenas de euros que lá têm há anos. Belo exemplo…

  2. Paulo Oliveira says:

    Eu fui obrigado a comprar, por 150€ (aproximadamente) o diploma tradicional em 2004, de forma a obter o certificado de conclusão de curso. E agora, vão-me enviar algo igual ao certificado que já tenho, mas dentro de uma lata?! E ainda têm a "lata" de dizer que se quiser receber o diploma tradicional (com prata e fita) tenho de pagar mais 150€! É rídiculo! Ou me enviam o diploma que eu comprei, ou devolvem o dinheiro que paguei, pois agora a compra do diploma tradicional é opcional.

  3. Joao Morais says:

    Vergonhoso é o incompreensível tempo de espera para um serviço pago. Após 10 anos (DEZ) ainda não recebi o diploma de licenciatura que fui FORÇADO a pagar para obter um certificado. Após 6 anos (SEIS) continuo à espera do diploma de mestrado que igualmente fui obrigado a pagar para um certificado. Agora a cereja em cima do bolo: após 3 meses de conclusão recebi o certificado de doutoramento numa cerimónia toda pomposa (que não compareci). Há 10 e 6 anos paguei por um serviço nunca realizado, algo errado e ilegal sucede, mais ainda se o serviço que um dia ainda espero receber for distinto do que foi acordado (sob coação, volto a frisar, pois sem pagar o diploma nunca teria direito a um certificado…).

  4. Uma vergonha!! O que terá a UC feito aos milhares de euros que foram pagos pelos estudantes entre 2003 e a entrada em vigor do novo despacho??

  5. Ivone Napoleão says:

    Tendo concluído a licenciatura na Universidade de Coimbra em 2003, desloquei-me à Secretaria Geral da Universidade para pedir a respectiva Certidão de Licenciatura. Como é do conhecimento geral só poderia adquirir a Certidão depois de pedir também o Diploma. O pagamento foi efectuado (guardo religiosamente o recibo do Diploma datado de 17/07/2003, no valor de 124.70€), mas até hoje ainda não foi emitido o documento que na altura me diziam demorar 5 anos.
    Ao fim de quase 6 anos (23/06/2009), não tendo recebido nada em casa, desloquei-me aos serviços, no sentido de esclarecer a demora. Foi-me dito que havia um atraso, mas que dentro de um ano receberia na minha morada o Diploma.
    Pacientemente continuei a aguardar e há cerca de três meses contactei os serviços por telefone para saber mais informações. Nessa altura responderam-me que demoraria mais um ano! Indignei-me, mas sou uma pessoa paciente!…
    Foi com muita surpresa que hoje li esta notícia, onde se sugere que os Diplomas que estão agora a ser passados já não são aqueles que supostamente foram pagos há 9 anos atrás!!!
    Ora, depois de tanto tempo de espera pelo meu Diploma, acho que tenho direito exactamente àquilo que paguei, portanto não aceito de maneira alguma que me seja enviado outro Diploma, a não ser o tradicional. Compreendo que a Instituição esteja com dificuldades financeiras, mas o meu dinheiro já entrou nos cofres da Universidade e não sou eu que tenho culpa que o atraso na emissão dos Diplomas seja tão grande, porque se estivesse pronto em 2008, como prometeram aquando do pagamento, eu já teria em casa o Diploma tradicional que paguei!
    Espero que as tradições que tanto orgulham a Universidade não sejam sacrificadas em prol da contenção de custos.
    Continuarei, pacientemente a aguardar pelo meu documento, mas não quero receber outro a não ser aquele que tenho direito.

  6. Se há 6 anos paguei por um diploma, porque é que durante o (estupidamente extenso) prazo de entrega, alteram as caracteristicas?

    Tem tanta lógica como comprar um carro por 20000€ com extras e equipamento de topo e quando o entregam, vir sem tudo isso porque a marca decide unilateralmente alterar as caracteristicas do produto, afectando as unidades ja vendidas, ja pagas e em processo de entrega!!

    • Concordo com tudo o que disseram até agora porque me sinto igualmente lesada pelo valor que paguei. Muito bem… quero o que paguei….. não tenho a culpa que se atrasassem 6 anos a entregar um diploma que noutras instituições demoram meses a entregar. muito bem, dá trabalho a colocar o material e custa dinheiro???? mandei tudo num envelope que eu acabo em casa mas quero o que paguei!!!!!

  7. Hernâni Inacio says:

    Há 7 anos que paguei o meu diploma e até ao presente momento continuo a aguardar pelo mesmo, já de si considero ser vergonhoso e inadmissivel para uma instituição reconhecida internacionalmente.Não admito que tal seja de facto veridico, porque sê-lo estaria a violar desde logo direitos adquiridos e lamentavelmente seria o destruir de uma tradição unica e genuina de Coimbra.

  8. Espero pelo meu desde 2004. Percebo o que a sra. Vice-reitora quer dizer, mas eu, e tantos outros, fomos forçados a pagar um diploma que não queriamos para obter um certificado de habilitações. Podem devolver-me o dinheiro e ficar com ele, obrigadinha.

  9. CRISTINA HENRIQUES says:

    É UMA TÉCNICA NOVA UNIVERSITÁRIA !!!!
    UM DIA NEM AS LATAS HÁ!!!!

  10. Eu licenciei-me em 2003 e em novembro de 2011 recebi um telefonema todo simpatico (no meu local de trabalho) da secretaria geral a dizer que o diploma estava pronto! Ate me enviaram para casa o diploma sem custos (lolol) e com prata!!!
    O facto é que é inadmissivel o tempo que demora a ser feito!!!

  11. É necessário organizar um grupo de pressão para impugnar este acto vergonhoso!!! Estão a servir "gato por lebre" como disse um Colega nosso. A nossa Faculdade está a ser gerida por gente sem escrúpulos e que só olham ao dinheiro (dos outros) e não aprenderam a honrar e respeitar os seus compromissos. Façamos UM GRUPO DE PRESSÃO!!!

  12. António Trindade says:

    Eu também fui obrigado a pagar por um diploma que não preciso só para obter um certificado de habilitações. Isto foi em 2003… Ainda estou à espera do diploma e, das duas uma, ou me entregam o que eu paguei ou me devolvem os €125 mais juros que paguei…

  13. Concordo plenamente. Tudo bem que eu apenas acabei o curso à 2 anos e meio mas fui também obrigada a pagar os 150€ do diploma e 12,50€ para ter o certificado de habilitações mas sem uma não podia ter a outra. Agora mandarem uma coisa pela qual não paguei não! E de certeza que só o irei receber dentro de 10 anos (quando me disseram que seriam 6 anos de espera). SIGA PARA O GRUPO DE PRESSÃO!!!

  14. Para além de grupos no Facebook, é ir lá pessoalmente e pedir o livro de reclamações.
    Pagar 150€ por uma folha A4 dentro de uma embalagem de ananases nem nas Finanças.

  15. Joao Campos says:

    A Sr.ª Vice Reitora disse: "A entrega dos diplomas está, atualmente, com uma média de atraso superior a 10 anos”, sendo necessários mais de 800 mil euros para ultimar as cerca de 21 mil cartas de cursos que ainda não foram entregues."

    Ora 21000 X 150 euros = 3 150 000 euros, fazendo uma conta simples:

    3 150 000 euros – 800 000 euros = 2 350 000 euros

    ESTAREI A VER BEM????

    • Não estás a ver bem…. esqueceste de fazer o cálculo dos juros que a Universidade arrecadou durante estes anos todos…..

    • creio que sim, meu caro 😉

    • Maria João Costa says:

      Só uma pequena nota… 21000 cartas ainda por emitir que foram pagas em média por 150 euros. Eles já lá têm 3 150 000 euros.

      Agora dizem que precisam de mais 800 000 euros para acabar as 21000 cartas. Dando um total de 3 950 000 Euros para emitir 21000 cartas. (Cada um pagaria mais ou menos 38€ a mais, que se me tivessem pedido simpaticamente teria pago sem grandes alaridos)

      Mas se nós (os 21mil que ainda não têm carta) pagarmos mais 150€ para ter o Diploma Tradicional a UC irá receber 6 300 000 €!!!!

      Não tinha reparado que a prata tinha valorizado tanto assim.

  16. Em 16.01.2004 paguei 124.70 euros por um diploma com selo de prata e fitas da cor da minha Faculdade, até agora nada, E agora isto!

  17. Sendo incompreensível esta atitude da reitoria, outra me suscita tremendas dúvidas. Porquê 10 anos para emitirem o diploma. Nos dias de hoje com os meios de edição que temos ao nosso dispor, seria expectável a entrega quase imediata de tal documento.
    Pelos montantes envolvidos, como foi apurado pelos anteriores comentadores, eis que aqui está uma boa oportunidade de negócio. Será que não há ninguém interessado em montar uma gráfica exclusiva para impressão dos diplomas…

  18. Cláudio Silva says:

    Qual o grupo de facebook? estou nas mesmas condições e estou indignado!

  19. Fausto Moreira says:

    O meu demorou SEIS anos a ser emitido e para tal tive que, numa base quase diária, enviar mails com reclamações a exigir o meu diploma que também é um papel metido numa lata. Prata? Viste-a… Licenciei-me em 2005 e nessa altura ainda não havia nenhum despanho reitoral para facilitar a emissão de diplomas. Também já exigi que o meu diploma fosse "actualizado". Se paguei, aliás, fui obrigado a pagar, e como se não bastasse demorou o que demorou, exijo que tenha direito àquilo que paguei. Em 4 anos não fiquei a dever 1 cent à UC e agora vêm com desculpas de mau pagador que a prata está cara e que os custos de produção são altos. Honrem os vossos compromissos, UC! E há mais: ninguém nos Serviços Académicos é capaz de explicar porque é que um diploma demora tanto a ser emitido. Ninguém! Suponho que seja tradição coimbrã… Nesta cidadezinha as pessoas medem a sua importância pelo tempo que fazem esperar as outras e a UC não é excepção. Sugiro a todos nesta situação que nos dirijamos aos Serviços Académicos da UC e reclamemos por escrito. Pode ser que alguma coisa mude.

  20. Eu licenciei-me em 2001 e ainda não recebi o dito diploma~

  21. Caros, quero apenas aconselhar (na mesma linha de uma comentário anterior) que dediquem 30min à redacção de uma carta formal, dirigida à Sra. Vice-Reitora, a manifestar o vosso descontentamento. Grupos online são interessantes, mas não passam de uma manifestação superficial (e potencialmente ineficaz) de indignação. Creio que a forma correcta de agir é contactar oficialmente quem de direito, pois não há desculpa para dizerem que "não sabiam que os ex-alunos se importavam com os factos".

  22. A competência demonstrada da Universidade …

  23. A prata pode estar mais cara, mas se os diplomas fossem passados dentro de um limite de tempo aceitável essa questão não se poria. Além disso, não são emitidos por “ordem de entrada”, pois terminei a licenciatura em 2004 e até agora nada. Concluí mestrado em 2008 e em menos de um ano o diploma chegou.

  24. Fernanda De Sousa says:

    contem comigo, meu mail

    nanda.sousa75@hotmail.com

    Vou a Portugal em Março, quero e exigo o meu diploma tradicional, que negocio vem a ser isto? Devemos juntar nos e fazer força. Vou contactar a televisao portanto quem está interessado em lutar? Acabei em 2003 e paguei e agora?? business is business. Tiro o curso, convidam me a sair de Portugal para trablhar, ficam com o nosso dinheiro e querem nos dar papel higienico em troca??? Olhem bem para mim, não sou burra. Não aceito. Nao quero o dinheiro de volta nem um papelzito quero o meu diploma de qual esforcei me tanta para receber.

  25. Eu não sei como e possível uma universidade pode falhar os dados no certificado.?…?tendo uma copia de BI. E muito triste e lamentável um estudante sentar 4 anos na cadeira e como se não bastasse a pagar mensalmente,e com multas.para não receber o diploma e nê certificado.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*