Condições alimentares agravam-se nas escolas de Coimbra

Posted by

Arquivo - Gonçalo Manuel Martins

Arroz com espinhas”: foi assim que Margarida Girão, diretora do Agrupamento de Escolas Alice Gouveia, qualificou a comida servida esta quinta-feira (5) numa das escolas do ensino básico do seu agrupamento.

Em dois dias seguidos não houve comida suficiente para cerca de duas dezenas de alunos da escola EB1 Quinta das Flores, o que aconteceu também na EB1 de Montes Claros (Agrupamento Martim de Freitas).

A Câmara Municipal de Coimbra admite rescindir o contrato relativo às refeições escolares, assinado com a Gertal.

Versão completa na edição impressa de 6 de janeiro do DIÁRIO AS BEIRAS

5 Comments

  1. esperem que com estes gorvenantes, ainda nen a procissao chegou ao adro.
    mas o povo portugues nao e tolo , e o saco esta a encher.

  2. Maria Medeiros says:

    E o que é que vais fazer? um 25 de Abril? Nós estamos a pagar agora pela má governação de gerações e gerações. E toda a gente fala mal do Governo que lá está mas esquecem-se que ele só está a fazer isto porque tem que cumprir um belo de um acordo com a Troika que o Governo anterior assinou.

    • Se este governo não reprova-se o Pec 4 a troika se viesse era com outras condições ou seja com prazo mais alargado, mas como o PCD estava mais ingressado era em ir para o governo nunca se ingressou pelas saúdes, pelos mais pobres esses tem de morrer a míngua.

  3. Ainda está tudo adormecido…. NInguém tem coragem para fazer algo.

  4. cristina henriques says:

    Mas já viram que estes alunos é que têem de comer e passar fome… vão – lhes perguntar a eles o que pensam … eu gostaria muito de ler o que dizem !!!
    No meu tempo no Ciclo eram as almôndegas ao almoço que iam parar ao ar porque eram abomináveis…
    Pois parecem problemas eternos!!!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*